PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Monção

Catarina Lourenço: “Votaremos sempre a favor enquanto o compromisso de execução se mantiver”

30 Dezembro, 2021 - 21:17

1623

0

Orçamento Municipal para 2022 aprovado com votos favoráveis de todos os presidentes de Junta (incluindo três do PS).

Todos os presidentes de Junta (incluindo três pelo PS) votaram favoravelmente, esta quinta-feira em sessão ordinária da Assembleia Municipal de Monção, o Orçamento do Município para 2022, com um valor global de 30.205.932,00 euros.

 

Convém referir que os presidentes de Junta têm liberdade de voto.

 

No entanto, duas dessas Juntas são bastiões socialistas num concelho que em 2017 virou à direita: Junta de Freguesia de Cambeses, presidida por Catarina Lourenço; e Junta da União de Freguesias de Mazedo e Cortes, presidida por Tiago Morais Rodrigues que é também o presidente da Comissão Política Concelhia do PS Monção.

 

Tudo somado, 24 votos favoráveis aos quais se somaram mais 13 da bancada social-democrata. Da oposição socialista, o documento contou com oito abstenções nesta sessão realizada por videoconferência.

 

Entretanto, em nota de imprensa enviada à Rádio Vale do Minho, a presidente da Junta de Cambeses justificou o voto favorável ao documento.

 

“Para Cambeses, a honra e o compromisso de execução do Orçamento Municipal são pilares fundamentais e dos quais não abdicamos para defender os interesses da nossa freguesia”, refere Catarina Lourenço que já em 2020 se destacou por ter sido a única presidente de Junta a votar favoravelmente o Orçamento Municipal para o ano seguinte.

 

No entanto, a autarca socialista deixa claro que “este não é o orçamento” com o qual se identifica. “Tem uma matriz de opção politica e de prioridades que ficam longe do que considero ideal para o concelho”.

 

No entanto, “e de uma forma muito particular devo também salientar que a nossa decisão de voto foi tomada nos instantes finais da intervenção do Sr. Presidente da Câmara aos nossos pedidos de esclarecimento. E mais uma vez optamos pelo voto de confiança com base na honra e compromisso que o Sr. Presidente manifestou para com a nossa freguesia”.

 

“Em 2021 o Executivo Municipal não falhou com a nossa freguesia. A palavra dada foi sempre honrada de parte a parte, e Cambeses já se pronunciou de como quer ser liderada. Por isso estamos ambos conscientes que mesmo com diferenças profundas no pensamento politico para o concelho, relativamente a Cambeses, não existe outra opção se não encontrar pontes de entendimento de negociação e respeitar a vontade da minha gente”, esplanou a presidente da Junta.

 

 

Ou a favor ou contra. Sem meio termo

Na mesma nota, Catarina Lourenço assegura que “a abstenção da nossa parte nunca esteve em cima da mesa porque a determinação, a força e a frontalidade que nos carateriza não nos permite que Cambeses se mantenha em decisões pouco claras quanto a execução do que propomos. Ou de facto estão connosco, honram os compromissos, executam o que se comprometem, ou com a mesma frontalidade votaríamos contra e procuraríamos outras soluções”.

 

Para a autarca socialista, existe uma “vontade de colaborar, abertura para negociar e parcerias pontuais a respeitar. O estigma político inicial para com Cambeses julgo ter desaparecido e os comportamentos e atitudes são agora mais equilibradas e condizentes com o tratamento igualitário para com as outras freguesias”.

 

E concluiu com uma frase deixada na terminada sessão, sublinhando que “os pequenos atos que se executam são sempre melhores do que todos os grandes que apenas se planeiam”.

 

Na votação, o Orçamento Municipal de Monção foi aprovado com 37 votos a favor. Contou com 8 abstenções.

 

 

[Fotografia: Arquivo/DR]

Últimas