PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

0

0

País

País: Comemora-se a implantação da República… mas os monárquicos também estão em festa

5 Outubro, 2021 - 02:00

445

0

Portugal assinala esta terça-feira 111 anos após a implantação da República.

Esta terça-feira é Feriado Nacional. O País comemora a implantação da República. Foi a 5 de outubro de 1910 que os portugueses assistiram (a pouco e pouco) ao resultado de uma revolução organizada pelo Partido Republicano Português. 

 

Essa revolução tinha sido iniciada no dia 2 de outubro desse mesmo ano. Saiu vitoriosa na madrugada de 5 de outubro, o que acabou por destituir a monarquia constitucional de D. Manuel II. Foi implantado o regime republicano em Portugal.

 

Eram 9h00 quando, a partir da varanda do edifício da Câmara Municipal de Lisboa, a República foi proclamada por José Relvas. Foi nomeado um Governo provisório, presidido por membros do Partido Republicano Português, com o compromisso de governar a nação até que fosse aprovada uma nova Lei Fundamental.

 

 

 

Às 9h00 do dia 5 de outubro de 1910, José Relvas proclamava a República em Lisboa
[Fonte: Wikipedia]

 

 

 

Mas esta revolução saldou-se em dezenas de baixas. O número rigoroso não é conhecido, mas sabe-se que, até ao dia 6 de outubro, tinham dado entrada na morgue 37 vítimas mortais da revolução.

 

Vários feridos recorreram a hospitais e postos de socorros da cidade, alguns deles vindo, mais tarde, a falecer. Por exemplo, dos 78 feridos que deram entrada no Hospital de São José, 14 faleceram nos dias seguintes.

 

 

E os monárquicos?

A implantação da República é, evidentemente, um feriado republicano. Monárquicos não encontram aqui, portanto, grandes razões para celebrar. Porém, na História de Portugal, os fiéis à coroa encontraram um outro 5 de outubro bem mais feliz, no longínquo ano de 1143.

 

Assinatura do Tratado de Zamora. Painel de azulejos do início do século XX, em Portimão
[Fotografia: DR]

 

 

Explicam vários historiadores que foi nessa data que foi assinado o Tratado de Zamora. Um diploma resultante de uma conferência de paz entre D. Afonso Henriques e seu primo, Afonso VII de Leão. São vários os especialistas que consideram a assinatura deste tratado como a declaração de independência de Portugal dando assim início à dinastia afonsina.

 

 

Os monárquicos festejam, assim, o nascimento do Reino de Portugal.

 

 

 

[Fotografias capa: DR]

Últimas