PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

1

5

Caminha

Caminha: Menino de 12 anos (que sofre de gaguez) agredido com “dois pontapés na garganta”

7 Maio, 2024 - 18:38

4146

0

Agressor, com 16 anos, alvo de processo disciplinar.

[atualizada 19h42 – com rejeição de “desentendimento” por parte da mãe mais sim de “agressão unilateral”]

 

 

“Puxou-o pelas pernas e agrediu-o com dois pontapés na garganta”.

 

As palavras são de Marciana Stelling, mãe do menino luso-brasileiro de 12 anos que ontem, segunda-feira, teve de ser hospitalizado após um episódio de agressão física envolvendo um outro aluno, de nacionalidade portuguesa, com 16 anos de idade.

 

O episódio aconteceu na Escola Básica e Secundária de Caminha.

 

O alerta foi registado às 12h38. Ao local acorreram os Bombeiros Voluntários de Caminha, com dois operacionais apoiados por uma viatura. Marcou também presença a VMER do Alto Minho.

 

“Encontrei-o prostrado no local que tinham reservado para ele. Tremia muito. Ele já tem um problema de gaguez e não conseguia falar comigo”, descreveu a mãe à Rádio Vale do Minho.

 

Após a agressão, segundo a mãe, o menino foi ajudado por duas crianças. Levaram-no para a sala dos professores.

 

Já no Hospital de Viana do Castelo, a criança foi sujeita a vários exames. Não foram encontradas fraturas nem hemorragias.

 

O menino encontra-se em casa.

 

“A nossa preocupação é que possa existir sangue pisado ao nível interno, e agora estamos em constante observação”, referiu Marciana Stelling que diz desconhecer os motivos da agressão.

 

Mas suspeita de xenofobia. Garante que “não houve qualquer desentendimento”. Apenas uma “agressão unilateral”.

 

Sobre o regresso às aulas, a criança, previsivelmente, “ainda não tem vontade”.

 

Conforme avançou a Rádio Vale do Minho, o aluno agressor está já a ser alvo de um processo disciplinar.

 

A mãe confirmou que já foi apresentada queixa na GNR.

 

“Espero que lhe seja aplicado um castigo exemplar. Até porque há imensas crianças que já passaram e estão a passar pelo mesmo”, concluiu.

 

 

[Fotografia: Ilustrativa/DR]

Últimas