PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Valença

Valença: Mais de 300 anos de Feira que deram em Património – “Um orgulho”, diz Carpinteira

27 Outubro, 2023 - 17:48

567

0

Feira dos Santos de Cerdal.

O Presidente da Câmara Municipal de Valença, José Manuel Carpinteira, considerou esta sexta-feira que a inscrição da Feira dos Santos de Cerdal no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial (INPCI) “é motivo de orgulho” para o concelho.

 

O autarca destacou um evento cujo “legado histórico” e “valor social, cultural e económico que tem para Valença e para toda a região transfronteiriça” já era merecedor do reconhecimento agora dado pela Direção Geral do Património Cultural (DGPC).

 

De acordo com as últimas investigações, a DGPC refere que “a Feira dos Santos de Cerdal, remonta o século XVII, e realiza-se anualmente em Valença”.

 

“Apresenta-se como uma festividade cujas práticas sociais, rituais e eventos associados refletem as históricas relações luso-galaicas características do Alto Minho raiano, englobando um amplo conjunto de costumes e tradições com impacto direto e indireto na comunidade local e na região onde se insere, de ambos lados da fronteira”.

 

“Com raízes que se perdem no tempo, surge como manifestação já devidamente consolidada em meados do século XVIII, embora se possa apontar para uma génese mais recuada, relacionada com uma provisão do rei Filipe IV de Espanha em favor do Mosteiro de Ganfei, no século anterior”, salienta a DGPC.

 

Como manda a tradição, a próxima edição vai realizar-se nos próximos dias 1 e 2 de novembro. O certame traz àquela localidade milhares de visitantes entre portugueses e galegos.

 

 

 

Séculos de história

A Feira dos Santos é considerada o principal evento de outono da Euro região Galiza-Norte de Portugal, recebendo portugueses e espanhóis em perfeita comunhão, numa tradição secular.

 

Esta é uma feira com personalidade própria, que carrega séculos de história e tradição, congregando saberes, tradições e rituais, organizados ao longo do ano e que teimam em não se perder.

 

O vestuário, as louças, o calçado, as tasquinhas, o gado bovino, caprino e ovino, os produtos do campo, as maquinarias agrícolas, os parques de diversões e uma infinidade de outros atrativos prometem fazer as delícias dos visitantes.

 

O dia 1 de novembro (Dia dos Santos) é o dia principal e o dia 2 está destinado à “Feira das Trocas”. Assim se mantém a tradição de trocar os produtos adquiridos na véspera que por alguma razão não serviram.

 

Uma das marcas da feira são os frutos da época, sobretudo os famosos Perícos dos Santos. Os perícos, uma “pequena pêra”, são típicos de Valença e tem no concelho, para além da sua origem, as maiores áreas de produção. A par dos pericos, as castanhas cruas ou cozidas, as nozes, as maçãs tardias e os dióspiros fazem as delícias de quem aprecia estes produtos.

 

Manda a tradição que nas noites de 31 de outubro e 1 de novembro a Feira dos Santos seja o destino para provar os vinhos novos e saborear os petiscos locais como os rojões, as moelas, as bifanas e o bacalhau, entre muitas outras iguarias.

 

Nas tasquinhas animam-se as noites, ao som das concertinas e soltam-se cantigas de desgarrada.

 

As corridas de cavalos, em passo travado, decorrem no dia 1, a partir das 14h30. Os emblemáticos cavalos garranos dão sempre um colorido especial à feira do gado que contará, ainda, com animais bovinos, caprinos e ovinos e uma ampla área de maquinaria agrícola.

 

 

 

[Fotografia: Feiras de Portugal]

 

 

 

Atenção à marcha lenta!

Está a ser convocada, nas redes sociais, uma marcha lenta em Valença para o próximo dia 1 de novembro às 8h00. Precisamente o dia em que arranca mais uma edição da Feira dos Santos de Cerdal, que atrai milhares de visitantes de um e do outro lado da fronteira.

 

O protesto, segundo se lê, estará relacionado com o já anunciado aumento do Imposto Único de Circulação (IUC) a partir de 2024.

 

[Fotografias capa: DR]

Últimas