PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Desporto

Rescaldo do fim-de-semana desportivo

6 Fevereiro, 2012 - 10:30

122

0

Cumpriu-se mais um fim-de-semana também em matéria desportiva. Tivemos o segundo consecutivo sob o signo do “Galo”

Cumpriu-se mais um fim-de-semana também em matéria desportiva. Tivemos o segundo consecutivo sob o signo do “Galo”. Depois de, na passada semana, o Gil Vicente ter dado três “bicadas” no Dragão, desta vez foi ao reino do leão e eliminou o Sporting da Taça da Liga.
Em competições ditas profissionais, foi este troféu, que não dá acesso a coisa alguma, mas que esta época está com maior empenhamento dos ditos grandes, que marcou o futebol e confirmou a “agonia” dos leões, que entram agora numa semana de alta voltagem, com dois jogos na Madeira, o primeiro já esta Quarta-feira onde terão que vencer o Nacional para marcar presença no Jamor, e outro no Sábado, nos Barreiros, perante o Marítimo, decisivo na luta pelo terceiro lugar.
Benfica e Porto cumpriram as suas tarefas perante V. Setúbal e Marítimo, destacando-se os golos no Dragão a cargo dos novos reforços, Lucho e Janko, confirmando-se as melhores perspectivas de dois embates na Luz, no próximo mês de Março. O primeiro a abrir, logo no dia 2, para decisão do campeonato e outro no despontar da Primavera para este Taça da Liga.

Pelas nossas bandas, houve também dois “galos”: Cerveira e Courense e os restantes, esses tiveram “galo”.
O Cerveira conseguiu a primeira vitória em casa e destronou o então líder Santa Maria, equipa proveniente da terra dos galos, de Barcelos. Foi a sensação grande da jornada décima sétima e o relançar da esperança cerveirense, vencedor em quatro campos, já que além dos seus três pontos beneficiou duma série de empates ou derrotas resultados dos seus mais directos adversários, reduzindo de cinco para quatro pontos a distância da “salvação”. Bastará continuar o ritmo e a diminuir um ponto por jornada, entrará na segunda fase na linha da salvação. Depois será continuá-la.
O Courense, naquele que era o jogo grande de Domingo, apesar de ter consentido um nulo frente ao poderoso Ponte da Barca, a equipa mais apetrechada para a conquista do ceptro da Honra, conseguiu o objectivo de manter a liderança, com a diferença de três pontos que levava para a jornada e saiu ainda com o “bónus” de vantagem no confronto directo entre ambos. Teremos campeonato a seguir com redobrada atenção nas próximas jornadas, com a particularidade dos comandados de Quim Zé serem os únicos a depender exclusivamente de si próprios e o desconforto dos restantes (quiçá apenas do Ponte da Barca) de serem forçados a “beneficiar” de pelo menos duas escorregadelas dos homens de Coura.

As restantes equipas “Vale do Minho” tiveram, isso sim, grande “galo”. O Melgacense, ao invés da época passada em que venceu o rival Vianense, ontem sofreu dois golos sem resposta e comprometeu, seriamente, as hipóteses de entrar nos seis primeiros, para jogar a segunda fase com tranquilidade. Ainda vai a tempo nas cinco rondas que faltam disputar, mas urge ultrapassar essa mala pata de resultados caseiros.
Valenciano e Desportivo de Monção também deram “galo” aos seus adversários de ontem, respectivamente, Távora e Castelense, em terreno destes últimos. Em comum tiveram os “nossos” o facto de terem estado em vantagem, mas ambos acabaram opor desperdiçá-la. Os de Valença foram mesmo derrotados, pesem as queixas que lançaram sobre Pedro Vieira, que foi, para eles, o “galo” maior. Seja como for, são a equipa com maior número de derrotas entre as sete primeiras classificadas. Os da terra de Deuladeu chegaram a dois golos de vantagem e consentiram um empate (não fossem o rei dos empates), repetindo um “filme” rigorosamente igual ao vivido no Manuel Lima, aquando da primeira volta.

Na I Divisão Distrital, cuja primeira fase chegou ao termo, tiveram todos “galo”. O “galo maior” foi para o Raianos com uma vitória amarga sobre a lanterna vermelha da prova, pois não chegou para o desejado apuramento, pois o Bertiandos não deu a mínima chance, enfiando cinco golos ao Perre. Adiada, mais uma época, a possibilidade de subida da equipa monçanense.
O Campos, ao intervalo, era o vencedor da série, com a vantagem em Rebordões Souto e o empate do Vila Fria. Na segunda parte, tudo se inverteu e acabou mesmo derrotado no Águias do Souto não conseguindo melhor que ser igualado pelos homens das Lagoas. esta derrota dos homens do 1º de Janeiro, não os molestando no objectivo de atingir a fase final, acabou por impedir que o Moreira, em folga, não ficasse sozinho, mas fosse obrigado a compartilhar o penúltimo lugar. E até o Caastanheira, vencedor do encontro em casa da lanterna vermelha Donas, acabou obrigado a descer um degrau na escada classificativa.

Em suma, Courense e Cerveira colheram os louros da jornada e dos restantes aguardem-se melhores frutos para as seguintes, quer nos campeonatos, quer na nova prova que se inicia para Moreira , Castanheira e Raianos.
Para melhores esclarecimentos ou razões dos resultados, na óptica dos técnicos, aguardemos o “Prolongamento”, no ar a partir das 17.30 horas, de hoje, com reposição às 21 horas.

Últimas