PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Ponte de Lima

P. Lima: Socialistas festejaram 49 anos do 25 de abril e 50 anos do PS

30 Abril, 2023 - 19:37

918

0

Jantar juntou cerca de uma centena de militantes e simpatizantes do partido.

“Este é um partido que se põe ao lado dos oprimidos e dos mais frágeis. Temos de proteger esta herança”, indicou Vitor Paulo Pereira, líder da Federação Distrital de Viana do Castelo, do Partido Socialista, recuperando também papel dos fundadores, bem como dos capitães de Abril.

 

No jantar comemorativo do 49º aniversário do 25 de Abril e dos 50 anos do PS, promovido pela concelhia de Ponte de Lima, Vitor Paulo Pereira defendeu que “este não é apenas um partido de pessoas. É energia que vem dos fundadores”, recuperando que estes, quando há 50 anos fundaram o Partido Socialista na Alemanha, “também lhes diziam que não havia soluções. E mesmo nas condições mais adversas conseguiram resistir e lutar pelos seus ideias”.

 

O líder da Federação Distrital de Viana do Castelo traçou o paralelo com os militantes de Ponte de Lima.

 

“Demonstram que amam a liberdade, porque lutar nos territórios hostis é bem mais difícil. Assim se vê a fibra dos verdadeiros socialistas”, sublinhou Vitor Paulo Pereira perante uma assistência de perto de uma centena de militantes, entre os quais Ana Catarina Mendes, Ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, João Paulo Correia, Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, deputados pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo e autarcas dodistrito.

 

O líder federativo incentivou os militantes limianos à luta, apontando também como exemplo os capitães de Abril.

 

“Nunca se esqueçam que, naquele dia, eles também se despediram da família sem saber o desfecho. Mesmo nas condições mais adversas também escolheram a liberdade”, recordou Vitor Paulo Pereira, para quem “lutar pela liberdade e pela democracia é um exemplo dos militares de Abril”, concluiu.

 

 

 

Ana Catarina Mendes: “União e menos erros”

Também Ana Catarina Mendes defendeu que o “exemplo e a coragem” dos militantes de Ponte de Lima devem ser aplaudidos.

 

“Não há nenhum dia em que me levante e não me recorde daqueles que fizeram para estarmos aqui hoje. Foram também os anónimos do 25 de Abril que lutaram pelo que acreditaram. E se não fossem todos os anónimos, não poderíamos hoje celebrar o PS e ser governo”.

 

Militante de há 32 anos, recordou que ingressou no Partido Socialista pelos exemplos de Soares e Sampaio, recuperando também que “a história se faz do sucesso e insucesso. Hoje o PS
tem uma enorme responsabilidade na sociedade portuguesa. Se o PS continuar a atacar-se a si próprio em vez de se unir, não será o Partido Socialista que continuará a dar as oportunidades”, concluindo que é necessário “mais desenvolvimento, mais solidariedade e menos erros”.

 

 

 

Sandra Vieites: “É preciso relembrar o quão importante é a democracia”

A líder das Mulheres Socialistas do Alto Minho marcou também presença neste evento. Sandra Vieites enalteceu a iniciativa da concelhia de Ponte de Lima, a qual “fez reviver os valores de abril, tão importantes nos dias hoje”.

 

“Vivemos tempos em que é preciso relembrar o quão importante é a democracia, o viver em democracia. É preciso incutir nos mais jovens os valores de abril”, defende a dirigente socialista, natural de Monção.

 

Sandra Vieites [primeira, à direita], presidente das Mulheres Socialistas do Alto Minho

[Fotografia: DR]

 

 

Por sua vez, o líder da concelhia de Ponte de Lima recordou que o PS “sempre esteve ao lado dos portugueses”.

 

Acácio Fernandes lembrou os tempos da pandemia, para sustentar que “os portugueses devem ter orgulho na governação dos Partido Socialista”, reforçando com as conquistas que o Alto Minho fez nos últimos anos e que “determinam o bem-estar e qualidade de vida destas populações”.

 

 

 

[Fotografias capa: PS Ponte de Lima | DR]

Tópicos:

#Política

Últimas