PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Paredes de Coura

P. Coura: Vêm aí mais três fábricas… e duas são de vacinas! – Investimento da Zendal sobe para 80 milhões

17 Abril, 2022 - 21:13

1277

0

Na Zona Industrial de Formariz.

Vêm aí mais três fábricas para Paredes de Coura. Duas são de vacinas e uma outra de injectáveis de ferro hospitalar.  O anúncio foi feito à Rádio Vale do Minho, neste Domingo de Páscoa, pelo presidente da Câmara daquele concelho, Vítor Paulo Pereira.

 

Estamos a falar da Zendal. A mesma empresa biotecnológica que, já no início do próximo ano, deverá arrancar com o funcionamento da primeira fábrica de vacinas que está a ser construída no Parque Industrial de Formariz. 

 

Só nesta nova fábrica, o investimento é de 22 milhões de euros. Com mais três, naquela mesma zona industrial, o número ascende aos 80 milhões.

 

“As fábricas de vacinas têm uma grande potencialidade. Não se faz uma fábrica de vacinas para fazer uma em específico”, começou desde logo por dizer Vítor Paulo Pereira à Rádio Vale do Minho.

 

No entanto, o autarca não se mostrou surpreendido com a decisão da Zendal.

 

“Este investimento já estava planeado. Foram adquiridos cinco hectares [50.000 metros quadrados] que já tinham em consideração um plano de expansão”, explicou.

 

 

Coura ficará com “um centro biotecnológico muito importante”

“Uma fábrica de vacinas já foi uma excelente notícia para nós, até porque não existe nenhuma no País. Mas somar a isto mais duas fábricas de vacinas e uma fábrica de injectáveis tornara Paredes de Coura num centro biotecnológico muito importante ligado à indústria farmacêutica”.

 

Visivelmente orgulhoso, Vítor Paulo Pereira fala na criação de mais de centena e meia de postos de trabalho diretos com as quatro unidades fabris.

 

No entanto, realça, “os planeamentos de postos de trabalho acabam quase sempre por superar as expetativas”. Poderão ser bem mais, portanto.

 

“A indústria farmacêutica cria sempre muitos empregos indiretos”, apontou.

 

De sorriso no rosto, o autarca socialista define estas quatro novas unidades como “uma grande conquista para uma Câmara que trabalha muito e que estabelece relações de confiança”. E, para Vítor Paulo Pereira, “esse é um dos aspetos que os investidores mais procuram: confiança”.

 

Quanto a prazos, sabe-se já que a primeira fábrica de vacinas deverá estar concluída antes do final do ano. Vai criar 30 postos de trabalho diretos.

 

Vítor Paulo Pereira preferiu não falar em datas precisas mas aponta o início da construção da segunda fábrica para “meio deste ano”.

 

 

[Fotografia: Arquivo/Screen TVi]

Últimas