PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

2

1

Paredes de Coura

P. Coura: Alunos e professores plantaram macieiras de uma variedade em risco de desaparecer [FOTOS]

21 Fevereiro, 2024 - 14:40

1445

0

Variedade de maçã foi elevada em 2021 a Património Vegetal de Interesse Municipal.

Dezenas de alunos e professores, acompanhados pelo Vice-Presidente da Câmara, Tiago Cunha, pela Vereadora da Educação, Maria José Lopes, e pela Diretora do Agrupamento de Escolas, Ana Paula Fernandes, plantaram esta terça-feira, no recinto da Escola Básica e Secundária daquele concelho, duas Camoesas de Coura.

 

Trata-se de uma variedade de maçã já considerada “em vias de extinção”, tendo sido por isso considerado por toda a equipa “um dia histórico”.

 

A iniciativa foi impulsionada pelo Projeto Terra, daquela escola. Um núcleo de alunos e professores daquela escola que “através da Educação Ambiental, procura promover boas práticas ambientais com projeção da sustentabilidade futura da geração escolar”.

 

 

 

[Fotografia: Cecília Pereira/Projeto Terra]

 

 

 

[Fotografia: Cecília Pereira/Projeto Terra]

 

 

 

[Fotografia: Cecília Pereira/Projeto Terra]

 

 

O alerta para o perigo do desaparecimento deste fruto já vem sendo há vários anos.

 

Em 2021, conforme noticiou a Rádio Vale do Minho, a Assembleia Municipal de Paredes de Coura aprovou – por unanimidade – a elevação desta variedade de maçã a Património Vegetal de Interesse Municipal.

 

Um dos vários avisos para o risco de extinção da Camoesa de Coura foi deixado em 2015 por Raúl Rodrigues, professor na Escola Superior Agrária de Ponte de Lima.

 

Já catalogou praticamente todos os tipos de maçãs existentes no Minho.

 

Em declarações ao portal Reporter Sombra, o docente alertou para o perigo do desaparecimento de algumas variedades de maçãs existentes no Minho. Entre elas… a Camoesa de Coura.

 

 

 

Camoesas de Coura

[Fotografia: Cecília Pereira/Projeto Terra]

 

 

Lamentou a preferência dos consumidores por “variedades comerciais” em vez de optarem pelas “endógenas”.

 

“O desenvolvimento de uma região deve assentar naquilo que é nosso. Que nos carateriza”, defende.

 

Apurou a Rádio Vale do Minho que, dentro de aproximadamente um ano, as duas árvores plantadas já deverão estar a dar as primeiras maçãs Camoesas de Coura.

 

 

 

[Fotografias capa: Cecília Pereira/Projeto Terra]

Últimas