Menu

+

3

0

Monção

Monção: Há 75 anos que a mercearia do Sr. Custódio soma clientes… e amizades [FOTOS]

5 Fevereiro, 2024 - 16:18

4945

2

Bacalhau é muito procurado nesta loja. Sobretudo por galegos.

Em Monção é difícil encontrar quem não conheça a mercearia do Sr. Custódio Teixeira. No Largo da Alfândega, mesmo às portas da Praça da República, atende clientes e soma amizades há 75 anos.

 

Foi em 1948 que os pais do Sr. Custódio decidiram abrir uma loja no centro da vila.

 

Uma mercearia que, curiosamente, nunca teve um nome oficial. Hoje é a mercearia do Sr. Custódio, mas começou por ser a Loja da Sãozinha – que era a mãe do atual proprietário.

 

“Em 1975 concluí o serviço militar e passei a tomar conta deste estabelecimento”, contou o Sr. Custódio à Rádio Vale do Minho.

 

Entrar na mercearia do Sr. Custódio é como fazer uma viagem ao passado.

 

Da balança a fazer lembrar o tempo dos nossos avós, passando pelas prateleiras até àquele aroma de uma mercearia que conserva nas paredes um incrível número de episódios e de milhares de pessoas que por ali já passaram.

 

“Tenho 70 anos, portanto já levo 50 como comerciante”, prosseguiu.

 

“Já por aqui passou muita gente portuguesa e estrangeira. Até o Primeiro-Ministro António Costa já entrou aqui”, contou com um sorriso.

 

Aconteceu no dia 19 de março de 2016, quando Costa apareceu de surpresa no  XVII Congresso do PS Alto Minho, realizado em Monção.

 

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

“Não há um dia em que não tenha aqui galegos”

Tudo ou quase tudo se vende na mercearia do Sr. Custódio.

 

As vassouras à porta são quase uma imagem de marca e lá dentro não falta uma vasta gama de produtos que vão da área alimentar, passando pela limpeza até à higiene pessoal.

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

 

No entanto, o grande trunfo desta loja é o bacalhau.

 

“É a referência deste estabelecimento. De ano para ano as vendas aumentam. Há uma cada vez maior confiança das pessoas, porque sabem que aqui encontram qualidade”, realçou o Sr. Custódio, como que traçando imediatamente a fronteira entre este tipo de estabelecimentos e as grandes superfícies.

 

A procura é de tal ordem que, afirmou, “cerca de 50% dos meus clientes para o bacalhau são galegos. Durante todo o ano! Não há um dia em que não tenha aqui galegos”.

 

 

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

 

 

“Enquanto puder, vou estar aqui. Depois fecharei”

Em 2018 e 2019, recorde-se, a Praça da República foi sujeita a uma profunda intervenção.

 

Entre obras e tanta revolução urbana, a mercearia do Sr. Custódio nunca deixou de funcionar. Sempre firme e a desbravar os tempos.

 

Porém, o atual proprietário não tem ainda qualquer sucessor em vista que possa dar seguimento a este estabelecimento histórico.

 

“Enquanto eu puder, vou estar aqui. Depois fecharei, como muitas já fecharam”, desabafou.

 

“Isso deixa-me triste. Espero que um dia, quando eu partir, haja alguém que tome conta disto e que dê seguimento”, concluíu o Sr. Custódio.

 

 

 

[Fotografia capa: Rádio Vale do Minho]

Últimas