PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Melgaço

Melgaço: Ver livros que não podiam ler-se há 50 anos (e quem fosse apanhado com eles arriscava prisão)

6 Abril, 2024 - 02:20

138

0

Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril.

Está patente na Casa da Cultura de Melgaço uma exposição intitulada Livros censurados.

 

Trata-se de uma mostra bibliográfica extraída do Fundo Documental da Bilbioteca Municipal daquele concelho.

 

 

 

[Fotografia: Município Melgaço]

 

 

 

[Fotografia: Município Melgaço]

 

 

 

 

“Durante o Estado Novo (1926-1974), censuravam-se os jornais, as revistas, as peças de teatro, os filmes e a televisão ainda antes de chegarem ao público. Era a então designada Censura Prévia”, lê-se na sinopse.

 

De 1934 a 1974, a censura oficial do Estado Novo produziu mais de 10.000 relatórios de leitura aos livros de autores portugueses, lusófonos e não-lusófonos, em edição original ou tradução, que entravam e circulavam em território nacional.

 

Com a publicação do Decreto-Lei nº 22 469 (D. G. 11.4.1933), que declara continuarem “sujeitas a censura prévia as publicações definidas na lei de imprensa e bem assim as folhas volantes, folhetos, cartazes e outras publicações, sempre que em qualquer delas se versem assuntos de carácter político ou social”, a Imprensa permanece sob o regime de censura, ao qual estava subjugada desde 1926. Quanto às obras, geralmente apreendidas após comercialização, enfrentaram diversos métodos de censura: fiscalização e apreensão prévia nas tipografias, índices de publicações proibidas, fiscalização de livrarias após denúncias ou como parte das tarefas da polícia política”.

 

A ação está integrada no programa no programa do Município das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril.

 

 

[Fotografia capa: Município Melgaço]

Últimas