PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Monção

Monção: Eis a Coca mais bonita do ano! – Artista premiada com mil euros

23 Outubro, 2021 - 17:45

5386

1

Obra assinada pela artista Eva Vieira.

Esta é a Coca de Monção mais bonita de 2021. É uma criação de Eva Vieira, natural de Viana do Castelo, uma entre as quatro dezenas de participantes vindos de todo o país (Açores e Madeira também) no concurso Coca de Monção 21. A iniciativa foi lançada em junho, por alturas das Festividades do Corpo de Deus neste concelho.

 

Inspirando-se na Sardinha das Festas de Lisboa, a autarquia lançou este concurso, procurando estimular a participação do público, com o objetivo de reforçar, ainda mais, a iconicidade da Coca de Monção, o dragão mítico monçanense. Seguindo o mesmo modelo, os participantes foram desafiados a decorar o dragão a gosto.

 

Aos olhos do júri, Eva Vieira foi a melhor.

 

“Sou arquiteta e ilustradora. Mas dedico-me à ilustração há dois anos. Até agora tenho-me dedicado mais a esta área e tenho ganho alguns prémios”, disse a artista à Rádio Vale do Minho com um sorriso.

 

Embora natural de Viana do Castelo, e relativamente perto de Monção, Eva Vieira admitiu que teve de pesquisar um pouco mais sobre a história deste concelho para conceber o trabalho realizado. “Adorei! O meu pai chegou a participar no Rali à Lampreia há vários anos e isto foi como reviver o que aqui acontece no que diz respeito a antigas e novas tradições”.

 

Com recurso a vários tipos de tinta, a artista concebeu um trabalho intitulado Cocariando, premiado com mil euros, oferecidos este sábado pela mão do vice-presidente da Câmara de Monção, João Oliveira, durante a cerimónia final realizada no Museu Monção&Memórias.

 

Os três primeiros classificados do Coca de Monção 21
[Fotografias: Rádio Vale do Minho]

 

 

No seu discurso, o autarca mostrou-se visivelmente satisfeito com a adesão que o concurso teve. “O júri teve certamente uma missão muito difícil. Todos os trabalhos são de excelente qualidade. Acreditamos que esta é a 1ª edição deste projeto, pois queremos dar-lhe continuidade”, disse João Oliveira. “A estratégia passa por tirar a arte dentro de quatro paredes”, acrescentou.

 

De referir que este concurso foi apadrinhado pelo artista Bordalo II. Contou com o apoio institucional da Caixa de Crédito Agrícola do Noroeste.

 

O júri de premiação foi constituído por David Santos – Noiserv (músico), Afonso Cruz (escritor e artista multidisciplinar), Acácio Viegas (artista visual contemporâneo), Chelo Matesanz (artista e professora) e Sónia Borges (ilustradora).

 

 

 

[Fotografias: Rádio Vale do Minho]

Últimas