PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

1

1

Paredes de Coura

Há um novo Centro de Literatura e Cultura no Alto Minho [FOTOS]

30 Julho, 2023 - 12:38

899

0

Casa Grande de Romarigães.

A Quinta do Amparo, em Paredes de Coura, imortalizada por Aquilino Ribeiro em “A Casa Grande de Romarigães”, foi inaugurada este sábado como centro de literatura e cultura, e como “viagem pela história do romance”.

 

“A reabilitação física e funcional da Quinta de Nossa Senhora do Amparo proporcionará a todos os visitantes uma viagem pela história do romance e pela história do nosso lugar. Pela história daquilo que somos. Paredes de Coura tem muitas ligações à literatura e nós temos de ser capazes de trabalhar esse valioso património”, referiu o presidente da Câmara, Vitor Paulo Pereira.

 

A reabilitação da Quinta do Amparo, que passa a denominar-se Casa Grande de Romarigães, foi feita na sequência de uma candidatura a fundos comunitários do Norte 2020 e teve “um investimento total de 508.194,57 euros, financiado a 85%”, descreve a autarquia.

 

A inauguração marcou também o início das Conversas na Casa Grande, “um ciclo que privilegia os grandes temas de um dos livros mais marcantes da literatura portuguesa do século XX”, criado para evocar os 60 anos da morte de Aquilino Ribeiro e que teve como primeiro palestrante o humorista Ricardo Araújo Pereira.

 

 

 

Veja as fotos [créditos: Cecília Pereira/Grupo FB Terra Amada]

 

 

 

A memória da obra literária de Aquilino e do lugar de Romarigães está na [sala] Casa da Escrita que procura ser um local de referência, “onde a literatura se cruza com arquitetura e o turismo cultural”, assinala o presidente da autarquia.

 

O autarca pretende que “a Casa Grande de Romarigães seja agora um espaço de cultura aberto às escolas, aos amantes da literatura, aos turistas, a toda a gente”.

 

“O turismo literário possibilita uma aproximação direta do visitante ao texto literário, bem como aprofunda as relações entre a ficção e a memória do lugar. São estas relações que contribuem para a divulgação da literatura e para a promoção de um turismo cultural que, como sabemos, é também responsável por criação de riqueza”, assinalou.

 

O município propõe-se, ainda, promover Paredes de Coura como território literário.

 

Além da Casa Grande de Romarigães/Quinta do Amparo, “o concelho também acolhe o Centro Mário Cláudio, em Venade, da mesma forma que ainda recentemente o escritor Valter Hugo Mãe também escolheu Paredes de Coura para passar um longo período e criar a sua mais recente obra, ‘As doenças do Brasil’”.

 

A “nova Casa Grande de Romarigães está dividida em três espaços”, sendo que o piso 0 propõe, “seguindo uma linha de tempo, conhecer melhor a vida e obra de Aquilino Ribeiro, um dos mais relevantes romancistas do século XX em Portugal”.

 

Neste espaço, entre outros elementos, podem encontrar-se a sua máquina de escrever, a caneta e alguns dos seus manuscritos.

 

O piso 1 acolhe a Sala de Escrita – com lousas, máquina de escrever e ‘tablets’.

 

Na capela contígua e dedicada a Nossa Senhora do Amparo, “na qual sobressai a interessante fachada barroca”, os visitantes são convidados “a assistir a uma curta-metragem de animação, realizada para este espaço e cujo mote foi a relação de Aquilino Ribeiro com a natureza”.

 

Durante a inauguração, foi também lançada a obra “A Casa Grande de Romarigães – Um contributo histórico e arquitetónico”, da autoria de Maria Ribeiro Machado Pedroso de Lima.

 

 

[Fotografias capa: Cecília Pereira / Grupo FB Terra Amada]

Tópicos:

#Literatura

Últimas