PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Monção

Gosta de ouvir Pink Floyd. Bastou “um minuto” para conseguir ‘bilhete’ até Monção

3 Fevereiro, 2024 - 19:39

2812

0

Novo maestro foi apresentado este sábado à comunidade.

Gosta de ouvir Pink Floyd. Mas também é um fervoroso fã da Orquestra Filarmónica de Berlim. À Rádio Vale do Minho, assumiu-se “muito eclético” sobre a música que ouve.

 

Assim é Nuno Osório, o novo maestro da Banda Musical de Monção (BMM). 

 

Foi apresentado este sábado, no Museu Moção&Memórias, em pleno centro histórico da vila. Sala repleta para ver ao vivo o homem que, daqui em diante, vai segurar a batuta da centenária BMM.

 

“O Maestro Nuno Osório foi o primeiro contacto que eu fiz. No primeiro minuto do telefonema senti que era ele”, revelou Ricardo Pereira, Presidente da BMM.

 

“Senti que era isto que precisávamos. Para além de toda a formação que tem, senti nas palavras… na educação… na forma de falar que era ele”, contou ainda.

 

Levou o assunto a toda a filarmónica. Obteve aprovação e Nuno Osório foi chamado.

 

 

Ricardo Pereira, Presidente da BMM

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

 

Maestro quer “crescimento musical, reconhecimento e afirmação”

No seu primeiro discurso público, Nuno Osório manifestou desde logo o desejo de “encontrar aqui uma nova família, unida e focada nos objetivos comuns com vista a projetarmos um futuro promissor e repleto de muitos sucessos musicais”.

 

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

 

Pragmático, passou ao objetivo principal.

 

“Pretendo, com humildade, resiliência, e muito trabalho, aplicar todos os meus conhecimentos e competências enquanto músico, maestro e compositor em benefício dos músicos e da BMM, contribuindo assim para um crescimento musical sustentável e colocar esta associação num lugar de reconhecimento e afirmação no panorama musical e cultural de Monção, do País e além-fronteiras”, enunciou.

 

“Isto para elevar ainda mais o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido ao longo destes anos. Conto com o contributo e colaboração de todos”, concluiu o novo Maestro.

 

 

Barbosa enaltece sala cheia

Na sua intervenção, o Presidente da Câmara Municipal de Monção destacou desde logo as dezenas de pessoas que deixaram a sala à pinha.

 

“Isto só é possível porque hoje a BMM chegou a um patamar de excelência”, interpretou António Barbosa.

 

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

 

O autarca monçanense voltou atrás. Debruçou-se sobre o telefonema de Ricardo Pereira para o Maestro e o “minuto” em que este sentiu que Nuno Osório seria a pessoa certa.

 

“É um sinal daquilo que vai ser uma caminhada de sucesso. De engrandecimento de uma banda que hoje nos faz sentir muito orgulho. Todos nós, em conjunto, fizemos da BMM aquilo que ela é hoje”, finalizou Barbosa.

 

 

 

[Fotografia: Ceedida à Rádio Vale do Minho]

 

 

 

Sobre Nuno Osório

Tem 49 anos de idade. Reside no Porto. É natural de Lamego. Foi nesta cidade que iniciou os estudos musicais, na filarmónica local.

 

Estudou piano na Academia de Musica de Lamego e percussão no Conservatório D. Dinis, em Odivelas.

 

É licenciado em Composição na Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo do Porto (Esmae), e Mestre em Direção de Orquestra de Sopros na Universidade de Aveiro (UA).

 

Frequenta ainda o Doutoramento em Composição na Universidade de Aveiro,

 

O seu trabalho enquanto compositor, assenta essencialmente em música Electrónica/Electro-Acústica, Câmara, Filmes, Orquestra Sinfónica e Orquestra de Sopros, Câmara, Filmes.

 

As suas composições encontram-se editadas na Editora Holandesa “Molenaar Edition”, reconhecida mundialmente.

 

Atualmente exerce funções de instrumentista e compositor na Banda de Música da Guarda Nacional Republicana, com o posto de Sargento ajudante.

 

A filarmónica monçanense é constituída por cerca de 80 elementos de várias gerações.

 

O registo mais antigo conhecido da Banda Musical de Monção está inscrito numa ata da Santa Casa da Misericórdia de Monção, datado de 25 de fevereiro de 1792. Nessa época, era conhecida como Banda de Muzica da Vila, presumindo-se, contudo, que a sua existência seja ainda anterior.

 

 

 

[Fotografia capa: Rádio Vale do Minho]

Últimas