PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Melgaço

Esta ideia surgiu há mais de 50 anos. Visionário Lagrifa Mendes lembrado em Lamas de Mouro

15 Maio, 2024 - 11:22

27

0

Porta de Lamas de Mouro celebra 20 anos de existência.

“Cumpriu-se Lagrifa Mendes”. A frase foi proferida esta quarta-feira, em tom orgulhoso e satisfeito, pelo Presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Manoel Batisa, durante a cerimónia das comemorações dos 20 anos da Porta de Lamas de Mouro, naquele concelho.

 

O autarca recuou no tempo. Quase 25 anos.

 

Citou uma reportagem do jornal Público, datada de 1 de setembro de 1999, onde eram anunciadas “portas de entrada” no Parque Nacional Peneda-Gerês.

 

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

“A ideia remonta já a 1971, mas só agora o velho projecto de Lagrifa Mendes, o primeiro director do Parque Nacional da Peneda-Gerês, de instalar “portas” nas principais entradas dos cinco concelhos desta área protegida começa a dar passos concretos. O objectivo é criar centros de recepção, onde os visitantes possam obter informação sobre o parque, tomar refeições, comprar artesanato ou alugar garranos, por exemplo”, citou Batista.

 

“Logo após a criação do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), em 1971, o seu primeiro director, Lagrifa Mendes, lançou a ideia de instalar “portas” nas principais entradas daquela área protegida, que funcionariam, ao mesmo tempo, como acesso e centro de recepção para preparar o visitante e “incutir-lhe o desejo de aprender a ver e a conhecer as riquezas naturais existentes”, lê-se.

 

“A ideia era criar “uma sala de recepção, com uma grande carta mural ou maqueta do parque nacional, mostrando o conjunto de circuitos e a situação dos locais de informação, uma pequena exposição agrupando elementos mais representativos da fauna e flora, monumentos e paisagens, bem como literatura para venda ou distribuição gratuita, uma pequena sala para projecção automática de filmes ou ‘slides'”, acrescenta ainda a reportagem do Público.

 

Paulo Castro, então Diretor do PNPG, estimava que “cada centro de recepção não deverá custar menos de 100 mil contos”.

 

O projeto avançou. Em 2004 tornou-se uma realidade.

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

“Ao longo destes 20 anos, foram milhares de visitantes que, através desta porta, entraram e conheceram o território. Foram milhares de alunos a experimentar a riqueza da fauna e da flora do PNPG”, disse Manoel Batista.

 

Em jeito de conclusão, Batista não tem dúvidas de que as portas do PNPG “terão sempre um papel crucial. Vinte anos são o começo de uma longa e profícua história”.

 

A Porta de Lamas de Mouro, é a primeira das cinco portas de entrada do único Parque Nacional de Portugal.

 

Vocacionada para a receção, recreio e informação dos visitantes do Parque, o seu tema central é o Ordenamento do Território, sendo aqui possível visitar uma exposição, permanente, sobre este tema, onde se promovem as especificidades naturais e culturais do território de Melgaço, com especial incidência para a história, organização e ocupação dos solos em Castro Laboreiro.

 

Com três edifícios e diversos espaços ao ar livre, a Porta de Lamas de Mouro tem uma receção, uma oficina temática, um parque de merendas, balneários e, muito próximo, um parque de campismo, sendo um excelente ponto de partida para sair à descoberta da magnífica área protegida.

 

[Fotografia capa: Rádio Vale do Minho]

Últimas