PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

1

1

Melgaço

Alto Minho: Almoçar (ou jantar) neste restaurante na próxima quarta-feira dá Alvarinho ‘à borla’

5 Junho, 2023 - 14:05

3362

0

Dia da Sub-Região Monção&Melgaço.

A produtora Dona Paterna, de Melgaço, vai assinalar o Dia da sub-região Monção&Melgaço de uma forma especial. A data comemora-se já na próxima quarta-feira, dia 7 de junho.

 

Com a colaboração da Adega Regional Sabino, em Melgaço, todos os clientes serão brindados com um copo de Alvarinho Dona Paterna, ao almoço ou ao jantar.

 

“A iniciativa pretende ser uma forma de brindar quem visita o território, mas também a população, com o que de melhor este tem, que é o alvarinho e a excelente gastronomia, aliada à natureza tão característica do Alto Minho, onde estamos inseridos, e, claro, o saber receber tão bem e genuíno pelas nossas gentes”, conta , Carlos Codesso, da Dona Paterna.

 

 

Porquê 7 de junho?

Foi neste dia, em 2017, que foi criado o Selo de Garantia Exclusivo para Monção e Melgaço, certificado pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes.

 

Desde então, todos os vinhos que tenham a denominação de Origem Vinho Verde, de uvas colhidas e vinificadas na sub-região de Monção e Melgaço, com menção a tal na rotulagem, e engarrafados por agentes da sub-região, podem usar este selo que certifica a autenticidade e genuinidade dos produtos provenientes de Monção e Melgaço, como forma de garantir que é esta sub-região que está na origem da casta alvarinho com características singulares.

 

“A sub-região de Monção e Melgaço tem condições naturais de microclima e solo que fazem desta um terroir único no mundo, que nos possibilita a criação de néctares de excelência, reconhecidos por todo o mundo. Monção e Melgaço é a origem do alvarinho”, sublinha Carlos Codesso

 

 

Sobre a Adega Regional Sabino

Situada no casco histórico da vila de Melgaço, a Adega Regional Sabino, começou por ser uma tasca, fundada por Maria José Saraiva e João António Marinho, no início dos anos 40.

 

Na década de 70, pela mão de Teresa Maria Saraiva e seu marido Armando Arnaldo Castro, passou a ser “Casa do Pasto”, servindo petiscos e alguns pratos de gastronomia minhota, de confeção simples, mas cuidada, sendo muito conceituado o Cozido à Portuguesa e a Sardinha Assada.

 

Em 1993, depois de profundas obras de remodelação e ampliação, Manuel Augusto de Castro (mais conhecido por “Sabino”) e sua esposa Odete Amorim Costa, empenharam-se em alargar e melhorar a oferta gastronómica, aliando a simpatia à boa mesa.

 

 

 

[Fotografia: Adega Sabino]

Tópicos:

#Vinhos

Últimas