PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Alto Minho

“Há 50 anos, uma pessoa como eu estaria condenada a uma vida inteira em casa”, escreveu a nossa tricampeã do mundo

25 Abril, 2024 - 19:59

111

1

Tornou-se num dos maiores orgulhos do desporto nacional.

“Há 50 anos, uma pessoa como eu (mulher e cega) estaria condenada a uma vida inteira em casa, escondida para não ser vista”. As palavras são de Marta Paço, tricampeã do mundo de surf adaptado.

 

“Nunca teria a oportunidade de estudar. Ler, escrever, pensar e comunicar seriam feitos inatingíveis. Até podia sonhar, mas jamais conseguiria realizar os meus sonhos”, refere a atleta invisual.

 

“Hoje, festejemos como nunca o 25 de Abril! Se, neste dia, as pessoas não tivessem tido a coragem de sonhar e de fazer cumprir os seus sonhos, provavelmente eu estaria em casa, seria um estorvo para a minha família e não conseguiria escrever estas palavras. Viva a LIBERDADE! 25 de Abril sempre!”, concluiu.

 

Invisual e natural de Viana do Castelo, Marta Paço tornou-se num dos maiores orgulhos do desporto nacional.

 

A cegueira de nascença de Marta Paço não foi um obstáculo que a impedisse de dominar as ondas. Com apenas 19 anos, já coleciona medalhas no surf adaptado.

 

 

 

[Fotografia: Marta Paço]

Últimas