Menu

+

0

2

Valença

Valença: Grupo de amigos galegos almoça sempre às sextas-feiras, no mesmo restaurante… há 15 anos!

30 Dezembro, 2023 - 02:13

7217

3

Em São Pedro da Torre.

São um grupo de aproximadamente 20 amigos. Todos galegos… e até têm nome: “Os Carapaus“. Mesmo em português, porque em galego diz-se jurel.

 

Todas as sextas-feiras, sem falhar, almoçam juntos no restaurante O Neves, na freguesia de São Pedro da Torre, em Valença.

 

Isto acontece, incrivelmente, há 15 anos [exceção feita ao período pandémico].

 

Conta o jornal Telemariñas que tudo começou em 2008, quando José Caballero, natural de Tui, estava a almoçar com um amigo naquele restaurante.

 

Foi então que surgiu um casal amigo, também de Tui.

 

“Como também iam lá todas as sextas-feiras, começamos a falar”, recordou. Não tardou até surgir o convite para se juntarem à mesma mesa.

 

“A partir daí começamos a almoçar juntos todas as sextas-feiras. Logo a seguir, outros amigos de Tui também se juntaram a nós. O grupo foi crescendo… uns trouxeram outros”, prosseguiu.

 

Volvida década e meia, Os Carapaus continuam a cumprir o ritual.

 

Chegam à sexta-feira e ali almoçam, sempre com o objetivo de fortalecer a amizade. Hoje contam com gente não só de Tui, mas também de Tomiño, de Ponteareas, de Baiona e até da Corunha.

 

“Para alguns de nós é o início do fim-de-semana, porque não trabalhamos à sexta-feira à tarde”, explicou Caballero.

 

“Chegamos ao restaurante e nunca pedimos nada. Sentámo-nos e acreditamos sempre no bom gosto do chef. Os pratos são quase sempre de comida portuguesa… e surpreende-nos sempre pela positiva”, destacou.

 

Foi assim que, num momento do acaso, surgiu um grupo de amigos do lado de lá do rio Minho que todas as sextas-feiras vem a Valença celebrar a amizade.

 

Os Carapaus, que orgulhosamente ostentam este nome tão português, assumem-se hoje como “uma grande família”. 

 

No passado dia 22 de dezembro, em pleno espírito natalício, celebraram o 15º aniversário do grupo.

 

“O importante é aproveitar o dia. O passado já passou e não sabemos o que o futuro nos reserva”, concluiu Caballero.

 

 

[Fotografia: Alfredo/jornal Telemariñas]

Últimas