PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Valença

Valença: Esta ponte é alvo de vandalismo “constante” – FOTOS

4 Abril, 2022 - 19:11

1520

0

Estrutura é exemplar único de engenharia, de período medieval.

A Ponte da Veiga, em Valença, está a ser alvo de constantes atos de vandalismo. Incidem sobretudo nas laterais da estrutura (guardas) que, conforme divulgou o Município, têm sido sucessivamente deslocadas e até mesmo derrubadas.

 

“Esta ponte tem sido alvo de sistemáticos atos de vandalismo, nomeadamente aos constantes derrubes e deslocações das guardas da ponte. Desta vez parte das guardas da ponte da Veiga da Mira foram danificadas e retiradas do seu local original”, lamenta a autarquia valenciana.

 

Entretanto, o espaço já foi sinalizado pela Proteção Civil Municipal de modo a avisar todos quantos transitam nesta ponte.

 

 

Vândalos deslocam e derrubam “sucessivamente” as guardas da ponte
[Fotografias: Município Valença]

 

 

No local estiveram já Técnicos da Direção-Geral da Cultura do Norte e do Município, bem como os presidentes das Juntas de Freguesia de São Pedro da Torre e da União de Freguesias de Valença, Cristelo Côvo e Arão para “avaliar os estragos causados nas guardas da ponte e soluções para a sua rápida recuperação”.

 

A ponte da Veiga da Mira, recorde-se, faz a ligação de São Pedro da Torre para Cristelo Covo, é ponto de passagem da Ecopista do Rio Minho e do percurso do Caminho Português da Costa para Santiago de Compostela.

 

É uma referência de São Pedro da Torre e Cristelo Covo, pelo seu elevado valor patrimonial e de identidade cultural, tratando-se de um exemplar único de engenharia, de período medieval.

 

Segundo o artigo 213º do Código Penal, ” Quem destruir, no todo ou em parte, danificar, desfigurar ou tornar não utilizável: a) Coisa alheia de valor elevado; b) Monumento público; c) Coisa destinada ao uso e utilidade públicos; d) Coisa pertencente ao património cultural e legalmente classificada ou em vias de classificação; ou e) Coisa alheia afecta ao culto religioso ou à veneração da memória dos mortos e que se encontre em lugar destinado ao culto ou em cemitério; é punido com pena de prisão até 5 anos ou com pena de multa até 600 dias”.

 

 

[Fotografia capa: Município Valença]

Últimas