PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Valença

Valença: Cumpriu-se a lei – Paragem na Estrada de S. Miguel já foi removida

26 Janeiro, 2022 - 14:10

1513

0

Notícia da Rádio Vale do Minho ganhou dimensão nacional. Conheceu hoje o último capítulo.

A lei foi cumprida. Após a confirmação de que a paragem de autocarro na Estrada de S. Miguel, na freguesia de Fontoura, em Valença, se encontrava em propriedade privada, a estrutura já foi removida pela Junta de Freguesia.

 

Passará a ficar localizada na mesma rua, a cerca de 50 metros do local onde estava, mas desta vez em conformidade legal.

 

 

 

Paragem de autocarro, na Estrada de S. Miguel, em Fontoura, já foi retirada e mudada de local
[Fotografias: Cedidas à Rádio Vale do Minho]

 

 

 

Uma história que, recorde-se, foi despoletada pela Rádio Vale do Minho em outubro do ano passado, após o proprietário do terreno ter vedado a paragem com várias vigas em cimento e uma rede que as impedia de chegar até ao ponto habitual de espera.

 

A notícia da Rádio Vale do Minho acabou por ganhar dimensão nacional. Foi replicada em vários órgãos de comunicação social do País.

 

Entretanto, a Junta de Freguesia e o proprietário do terreno acabaram por seguir o caminho do “bom senso”. A Junta comprometeu-se a mudar a paragem de local e Filipe Ferreira, proprietário do terreno, retirou de imediato a vedação que impedia as crianças de se resguardaram enquanto esperavam o transporte escolar.

 

A dimensão nacional da história mantinha-se e a TVI interessou-se pela matéria. A equipa daquela estação conseguiu obter provas que que a paragem estava mesmo construída em propriedade privada.

 

A reportagem, que contou com a colaboração da Rádio Vale do Minho, foi emitida no mês seguinte durante a rubrica Acontece aos Melhores, do Jornal das 8.

 

 

 

O que diz a lei?

“A Câmara [e não a Junta de Freguesia] tem o poder de mandar instalar uma paragem em terrenos públicos. Ou então pode fazê-lo em terrenos privados, desde que chegue a um qualquer acordo com o legítimo proprietário”, explicou à TVI Paulo Veiga e Moura, especialista em direito administrativo.

 

Mas não houve acordo.

 

Entretanto, em declarações à TVI, o anterior presidente da Junta de Freguesia de Fontoura, Rui Ferreira, explicou porque decidiu fazer a obra naquele local.

 

“Eu fiz lá a paragem porque para mim aquilo ficava na plataforma da estrada. Por outro lado, quando viesse o vento do mar, para as crianças a melhor localização era aquela”, disse.

 

Questionado sobre se consultou ou não o presidente da Câmara da altura, Manuel Lopes (PSD), para fazer esta instalação, Rui Ferreira escusou-se a responder.

 

À TVI, o atual presidente de Câmara, José Manuel Carpinteira (PS) revelou que “não houve qualquer pedido para a instalação daquela paragem de autocarro”. O que, para o autarca socialista, “é uma coisa ridícula porque, obviamente, quem decide o local das paragens é o Município”.

 

 

Lei cumprida

Encontrando-se a paragem em propriedade privada, a Junta de Freguesia de Fontoura não tinha alternativa a não ser removê-la e instalá-la noutro local. Assim aconteceu.

 

Cumpriu-se a lei.

 

 

[Fotografias capa: Cedidas à Rádio Vale do Minho]

Últimas