PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

2

0

Valença

Valença: Comércio local teme Natal “desastroso” com novas medidas nas fronteiras [VÍDEO]

2 Dezembro, 2021 - 11:55

7646

0

Fronteiras.

O comércio e restauração de Valença temem que a época natalícia seja “desastrosa” devido às restrições impostas pelo Governo nas fronteiras terrestres.

 

A notícia, que está a ser avançada pelo jornal Atlántico, dá conta que o primeiro dia de fiscalização aleatória por parte das autoridades decorreu sem infrações de registo mas um feriado em que o número de galegos a passar para o lado de cá diminuiu substancialmente.

 

Ambiente de confusão na interpretação do despacho em Diário da República e o receio de multas que podem ir dos 300 aos 800 euros, trouxeram a Valença e a outras localidades raianas o medo de um Natal pouco próspero nas vendas.

 

“Cerca de 90% do nosso rendimento provém do turismo espanhol”, realçaram vários comerciantes valencianos àquele jornal galego. Esta quarta-feira foi também dia de Feira Semanal em Valença e foram muitos feirantes a lamentar a ausência de galegos.

 

As autoridades avisaram e cumpriram. Logo no primeiro dia foram realizadas várias operações aleatórias. Vila Nova de Cerveira e a localidade de S. Pedro da Torre foram palco de ações de fiscalização.

 

 

Para já… apenas o certificado de vacinação

De acordo com aquele jornal, aos condutores que tiveram de obedecer a ordem de paragem foi-lhes apenas pedido pela GNR o certificado digital de vacinação. Mesmo assim, os comerciantes não se mostram convencidos.

 

“Desde o Verão que temos trabalhado sem problemas e agora vêm dizer-nos que é necessário isso. Há muita confusão na informação e isso nem sequer faz sentido”, explicou ao Atlántico a proprietária do restaurante Bom Jesus, Carla Mota, em plena Fortaleza de Valença.

 

A piorar o cenário, o certificado digital de vacinação é agora obrigatório em restaurantes; estabelecimentos turísticos e hoteleiros. A preocupação é cada vez maior nestes setores.

 

“Normalmente é nestas datas que faturamos o suficiente para irmos até à Páscoa. Nos primeiros três meses do ano temos poucos clientes”, disse àquele jornal Bruno Oliveira, dono de uma loja de têxteis em Valença. “Se isto continuar, muitos de nós podemos ter de fechar”, lamentou.

 

Certo é que as fronteiras continuam abertas e a GNR prossegue com controlos aleatórios nas estradas fronteiriças. Até ao momento não há registo de solicitação de testes negativos mas o certificado de vacinação continua a ser indispensável para quem cá entra, incluindo trabalhadores transfronteiriços.

 

 

 

Veja o vídeo [todos os créditos: jornal Atlántico]

 

 

[Fotografia: Jornal Atlántico]

Tópicos:

#Covid 19

Últimas