PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Vila Nova de Cerveira

Rui Teixeira: “Confio plenamente no Ministro da Saúde para interpretar a radiografia do Alto Minho”

19 Maio, 2023 - 13:08

418

0

Governante “tem adotado desde sempre uma atitude atenta, dialogante e disponível”.

O Presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira, mostrou-se esta sexta-feira totalmente confiante na competência do Ministro da Saúde, Manuel Pizarro. 

 

“Tendo a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho apresentado um dossier detalhado sobre estado da Saúde na região, o qual também inclui um levantamento realizado pela Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) e pelos municípios per si, elencando as necessidades de investimento e apontando algumas soluções, importa reter que, atualmente, o Sistema Nacional de Saúde não é, apenas, o serviço nacional de saúde, pois engloba um vasto conjunto de outros serviços, hoje, encarados pela população como complementares”, refere Rui Teixeira em nota enviada às redações.

 

“Sendo uma área na qual trabalhei muitos anos, encaro essa radiografia de forma serena e natural como um importante contributo para a melhoria da prestação de cuidados de saúde aos cidadãos”, diz Rui Teixeira.

 

“A ULSAM e o Ministro da Saúde têm colocado os cidadãos no centro das suas preocupações, permitindo uma gestão integrada dos cuidados de saúde primários, dos hospitalares e dos meios complementares de diagnóstico numa linha de ação que tem envolvido, desde logo, as Câmaras Municipais no seu Conselho de Administração”, prossegue.

 

Rui Teixeira considera, pois, que a ULSAM “tem excelentes profissionais em todas as áreas e uma massa crítica à altura das exigências, como assim ficou comprovado durante o período da pandemia Covid-19,  dias, com o enorme esforço de todos e uma reposta resiliente”.

 

Assim, o autarca considera “normal, desejável e imperioso dar algum tempo para analisar o dossier, quer à gestão da ULSAM quer, de forma muito natural e particular, ao senhor Ministro da Saúde e à sua equipa em funções há poucos meses, com um início de mandato marcado por uma miríade de desafios e problemas em todo o país resultado, desde logo, dos anos de pandemia”.

 

Sobre Manuel Pizarro, o autarca cerveirense defende que o governante “tem adotado desde sempre uma atitude atenta, dialogante e disponível para com os municípios e outras entidades, o que é revelador da sua capacidade de resolução dos vários problemas em todo o território nacional“.

 

“Confio plenamente no Ministro da Saúde para interpretar a radiografia do Alto Minho e continuar a verificar in loco aquilo que é possível fazer-se para suprir as carências existentes”, acrescenta.

 

 

 

Controlo das fronteiras sem “efeito prático”

Sobre o anunciado controlo das fronteiras com Espanha na primeira semana do próximo mês de agosto, a propósito da Jornada Mundial da Juventude, em Lisboa, Rui Teixeira considera que “é criticável a postura unilateral do Ministro da Administração Interna”.

 

O autarca lamenta “não ter havido qualquer diálogo ou interação seja com a Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, seja com o Agrupamento Europeu de Cooperação territorial do rio Minho ou mesmo com os municípios afetados por esta imposição”.

“A ser implementada, esta medida vai causar obviamente grandes constrangimentos e prejuízos para as populações. Para tal é necessário compreender a situação em concreto que, por exemplo, no caso do município de Vila Nova de Cerveira, as populações não são divisíveis por uma linha imaginária de fronteira. Os cidadãos fazem a vida em ambas as margens como se de apenas uma se tratasse”, lembra.

 

“Agosto é um mês de deslocações anuais dos nossos emigrantes, e de intensa atividade turística na nossa região que não se compadece com qualquer tipo de restrição ainda para mais sem uma razão fundamentada e sem qualquer tipo de diálogo com as autarquias”, refere ainda Rui Teixeira.

 

O vice-presidente da CIM Alto Minho não vislumbra qualquer “efeito prático na segurança do país ao anunciar que durante de xis dias no mês de agosto as fronteiras vão estar encerradas”.

 

 

[Fotografia: DR]

Tópicos:

#Saúde

Últimas