PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Vale do Minho

Rio Minho: Sonho tornou-se realidade – É navegável!

17 Dezembro, 2021 - 11:43

2487

0

Passeios turísticos vão arrancar ainda durante esta época natalícia.

O sonho tornou-se realidade. Aquilo que durante anos se julgava dificilmente possível, aconteceu esta sexta-feira aos olhos da comunicação social. O rio Minho é navegável e está apto a receber rotas turísticas entre as duas eurocidades: Monção/Salvaterra de Miño e Valença/Tui.

 

Os passeios de barco neste troço internacional do rio vão começar ainda “durante esta época Natalícia”. A confirmação foi dada pela presidente da Câmara de Salvaterra de Miño, Galiza, Espanha, Marta Valcárcel, durante a cerimónia realizada esta manhã onde o projeto foi oficialmente apresentado.

 

Vai arrancar com três rotas diferentes. Duas “curtas” (entre cada uma das duas eurocidades) e uma “longa”, que inclui as quatro localidades envolvidas. Para o próximo ano, foi anunciado, estão previstas mais rotas, todas elas mais elaboradas e com temáticas diferentes que passarão pela promoção da gastronomia, vinhos e património natural dos quatro concelhos.

 

 

Tudo começa com a visão de Arturo Grandal

A ideia de tornar o rio Minho navegável nasce em 2014 com Arturo Grandal, antigo presidente da Câmara de Salvaterra de Miño. O autarca marcou presença nesta cerimónia onde o seu nome foi por várias vezes citado e outras tantas saudado pela capacidade de visão demonstrada.

 

“Da cabeça de um grande homem saiu um projeto que fará com que exista um antes e um depois para o nosso território. Falo de Arturo Grandal. Um autarca que sempre pensou grande. Sempre fez questão de apontar uma das maiores riquezas que temos: o rio Minho”, enalteceu Marta Valcárcel. “Se hoje estamos aqui, é graças à sua visão ampla e de futuro”, sublinhou.

 

“O rio Minho como destino navegável é agora mais do que um projeto em papel. É um passo em frente para o nosso futuro, para o nosso turismo e para o nosso território”, prosseguiu a autarca de Salvaterra.

 

“Este é um projeto ambicioso e único que une duas eurocidades. É um projeto que mostra a nossa forma de entender a raia, um território que nos faz únicos pelas nossas singularidades. Temos um potencial turístico único”.

 

 

 

Do sonho à realidade – rio Minho é hoje navegável
[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

 

 

 

Barbosa e Carpinteira muito satisfeitos

Do lado português, o otimismo foi visível nos rostos dos dois presidentes de Câmara envolvidos. António Barbosa, autarca de Monção, era em 2014 vereador pela oposição (PSD) e já nessa altura vinha defendendo que “o concelho devia estar mais virado para o rio”. Em 2017 tornou-se presidente da Câmara e vários passos foram dados nesse sentido. E este, para o edil monçanense, é mais um.

 

“É mesmo isso! Recordo-me da primeira reunião que tivemos sobre este projeto, já como presidente de Câmara, onde ficou demonstrado que quando olhamos para estes territórios como um conjunto, os sonhos podem concretizar-se”, realçou Barbosa aos microfones da Rádio Vale do Minho.

 

“Não tenho dúvidas de que este é mais um projeto que mostra a importância que o rio Minho tem. Aliás, o nosso primeiro mandato (2017-2021) mostrou muito daquilo que podemos aproveitar deste rio. Este projeto pega nos dois lados e mostra muito do que é a nossa cultura e o nosso passado”, concluiu o autarca, convicto de que a ideia terá um “forte impacto positivo” nos quatro concelhos.

 

Em sintonia com o edil monçanense, o presidente da Câmara de Valença, José Manuel Carpinteira (PS), também olha para esta realidade de sorriso aberto.

 

“Este projeto vem reforçar a cooperação transfronteiriça. Tem como eixo central o rio Minho que nos une e onde vamos promover o nosso património natural, cultural e gastronómico. Vai incrementar muito o turismo na nossa região”, avaliou.

 

 

Embarcação com capacidade para 20 pessoas

A embarcação que percorrerá a rota fluvial tem capacidade para 20 lugares, mas transportará 15 pessoas para cumprir as regras de prevenção da COVID-19, determinadas pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

 

As reservas de passeios de barco para grupos de pessoas vão estar “brevemente disponíveis” no portal da Hemisferios, que é o operador turístico escolhido pelas autarquias para garantir a animação turística do percurso.

 

 

[Fotografia capa: Rádio Vale do Minho]

Últimas