PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Ponte de Lima

Ponte de Lima desafia população a um “Janeiro sem álcool”

5 Janeiro, 2023 - 20:50

293

0

Sensibilização.

O Município de Ponte de Lima associa-se ao Desafio “Janeiro Sem Álcool”, promovido pela Associação Portuguesa para o Estudo do Fígado, através de uma ação nacional de consciencialização para a doença hepática alcoólica, uma consequência que advém do elevado consumo de álcool.

 

A iniciativa surge com o mote “31 Dias Sem Álcool” e decorre até final de janeiro, com o objetivo de alertar a população para os danos relacionados com o álcool.

 

A Associação Portuguesa para o Estudo do Fígado (APEF) está promover de novo uma ação nacional de consciencialização para a doença hepática alcoólica, uma consequência que advém do elevado consumo de álcool.

 

“Os excessos das festividades requerem que o Ano Novo comece com novos hábitos”, defende o Município em sintonia com a APEF.

 

“Com este desafio pretendemos apelar às pessoas para que adotem um estilo de vida mais saudável durante todo o ano. O consumo de bebidas alcoólicas por parte dos jovens, sobretudo relacionado com a vida noturna e social, é preocupante e, por isso, deveria motivar uma intervenção por parte das autoridades reguladoras. É primordial que a população adulta pense também nos seus comportamentos a nível social e nas consequências que os mesmos trazem para a sua saúde; e que alertem os jovens para os riscos do consumo de bebidas alcoólicas”, afirma José Presa, presidente da APEF.

 

“O elevado consumo de álcool traz consequências graves em termos de saúde, nomeadamente para o fígado, como: fígado gordo, hepatite alcoólica e cirrose hepática; ou consequências indiretas como as resultantes dos acidentes de viação, por exemplo. Estas situações, quando não tratadas ou prevenidas, lesam gravemente a saúde e podem, até, levar à morte. É possível viver sem álcool, não invalidando que as pessoas não se possam divertir, relaxar ou socializar”.

 

A iniciativa “Janeiro Sem Álcool” ocorre em simultâneo em vários países, desde 2013. Em Portugal é a segunda vez que a campanha é promovida.

 

[Fotografia: Ilustrativa/DR]

Últimas