PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

País

País: Números negros da ‘Operação Páscoa’ continuam a subir

17 Abril, 2022 - 13:47

472

0

Trânsito.

A GNR registou 515 acidentes nas estradas portuguesas, entre quinta-feira e sábado, dos quais resultaram três mortos e 16 feridos graves, anunciou este domingo aquela força num comunicado sobre a Operação Páscoa 2022.

 

Numa atualização enviada este domingo às redações, a GNR descreveu, sobre as vítimas mortais, que em causa estão dois homens de 57 anos e um terceiro de 29. As mortes aconteceram em Braga, Vila Real e Monforte.

 

No sábado, após um despiste de um ligeiro de passageiros, além da vítima mortal de 29 anos, também ficou ferida uma criança de dois anos.

 

Mais de 200 com excesso de álcool

No comunicado, que contém dados provisórios sobre a Operação Páscoa 2022, a GNR conta que foram fiscalizados mais 2.971 condutores entre sexta-feira e sábado, num total de 12.759.

 

Desses, 219 conduziam com excesso de álcool e 132 foram detidos por conduzirem com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 gramas por litro.

 

 

Mais de 80 apanhados sem carta

A GNR acrescenta que “foram ainda detidas 86 pessoas por conduzirem sem habilitação legal”.

 

Nos três dias em análise, os militares desta força de segurança passaram 2.844 contra-ordenações. A maior parte delas, 1.705, foram por excesso de velocidade.

 

Já 225 condutores foram multados por falta de inspecção periódica obrigatória e 153 por falta ou incorrecta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças.

 

Somam-se 86 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório, 79 por uso indevido do telemóvel e 47 por anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização.

 

“A Guarda aconselha a uma condução atenta, cautelosa e defensiva, para que o período festivo seja passado em segurança”, lê-se no comunicado enviado às redacções

 

No texto, a GNR garante, ainda, que “continuará a ter especial preocupação com os comportamentos de risco dos condutores, sobretudo os que ponham em causa a sua segurança e a de terceiros”.

 

[Fotografia capa: Ilustrativa/Notícias ao Minuto]

Últimas