PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Paredes de Coura

P. Coura: “Foi uma vida inteira a conviver com clientes tão carinhosos e tão generosos”

29 Junho, 2024 - 21:25

606

0

“Fiz amizades para toda a vida, e espero poder continuar a estar com elas na minha reforma”.

Ainda Maria do Carmo Cerqueira não tinha saído de casa de manhã cedo para o último dia de trabalho e já muitos a esperavam na rua para saudá-la. Para cumprimentá-la. Para agradecer-lhe tanto.

 

Ajudante de farmácia desde os 10 anos de idade, a Dnª Micá (assim é popularmente conhecida) passou 60 anos no mesmo emprego: na Farmácia Ribeiro, na Rua Miguel Dantas. A mais central de Paredes de Coura.

 

Mal saiu à rua, foi efusivamente abraçada.

 

“Obrigada e desculpem qualquer coisa”, repetia Maria do Carmo pela rua fora com as lágrimas a transbordar pelo rosto.

 

O dia que muitos nunca imaginavam que poderia chegar, chegou. Aquela farmácia, que todos chamam de “Farmácia da Micá” ia ficar sem a Dnª Micá.

 

Os telefonemas sucedem-se desde que a aposentação de Maria do Carmo foi tornada pública.

 

Houve flores. Houve ainda mais gente que fez questão de ir uma última vez àquela farmácia, mesmo em frente à Câmara Municipal.

 

Desta vez não era para comprar medicamentos.

 

Era só para ver uma última vez a Dnª Micá atrás do balcão. “Uma mulher enorme. Uma boa samaritana que ajudou tanta gente”, tem-se dito e repetido nos últimos dias.

 

À hora do almoço, Maria do Carmo terminou o horário de trabalho. Era o último dia.

 

Para trás ficavam tantas memórias de um espaço onde entrou pela mão do seu pai, na altura proprietário.

 

Só ao final do dia, nas redes sociais, a Dnª Micá conseguiu dirigir umas palavras à comunidade.

 

“Eu não tenho o dom da palavra para agradecer individualmente e devidamente a cada pessoa que me enviou mensagens, me telefonou, escreveu nas publicações do Facebook, quer da minha filha, quer da notícia da Rádio Vale do Minho, me enviou flores ou prendas, ou veio despedir-se de mim na farmácia, rua e na minha casa”, iniciou.

 

“O que eu quero é dizer é simplesmente dizer-lhes MUITO OBRIGADA por fazerem parte da minha vida!”, prossegue a Dnª Micá.

 

“Os meus clientes são também uma segunda família que trago no coração para sempre. Foram eles que estiveram comigo nos bons e nos menos bons momentos e me ajudaram a ser aquilo que sou hoje na saída da minha segunda casa. Fiz amizades para toda a vida, e espero poder continuar a estar com elas na minha reforma”, lê-se.

 

A terminar, a agora aposentada ajudante de farmácia confessa que “não foi fácil sair do local que me viu crescer durante sessenta anos. É uma vida inteira atrás de um balcão a conviver com clientes tão carinhosos e generosos, e por isso é que o passo foi difícil de dar”.

 

Uma, vez mais, a Dnª Micá voltou a agradecer.

 

“Agradeço a todos, do fundo do coração, com o meu MUITO OBRIGADA, e que me desculpem por alguma coisa que não tenha sido do vosso agrado”, concluiu.

 

 

[Fotografia: Cecília Pereira/Grupo FB Terra Amada]

 

 

 

Farmácia Ribeiro: A Dnª Micá “fará sempre parte das mais importantes páginas da nossa história”

Entretanto, também a Farmácia Ribeiro divulgou já uma nota de agradecimento pelos serviços prestados por Maria do Carmo.

 

“Hoje, na Farmácia Ribeiro celebramos um marco muito especial! A nossa querida Micá decidiu retirar-se após mais de cinquenta anos [NR: são mais de sessenta] de dedicação e serviço exemplares. Foi para todos uma verdadeira inspiração, demonstrando sempre um compromisso inabalável que muito contribuiu para moldar a nossa Farmácia”, lê-se.

 

“Fará sempre parte das mais importantes páginas da nossa história, deixando um legado riquíssimo, cabendo-nos a responsabilidade de lhe dar continuidade. Profundamente gratos, desejamos-lhe uma reforma maravilhosa e cheia de momentos felizes!”, conclui o estabelecimento.

 

 

 

 

 

 

[Fotografia capa: Cecília Pereira/Grupo FB Terra Amada]

Últimas