PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

0

0

Destaques
Ponte da Barca

P. Barca: Município gastou 85 mil euros em chamadas para vencer 7 maravilhas

24 Julho, 2021 - 17:08

55

0

PUB A Altice acionou judicialmente a Câmara de Ponte da Barca por incumprimento no pagamento de mais de 85 mil euros de chamadas de valor acrescentado feitas para o concurso […]

PUB

A Altice acionou judicialmente a Câmara de Ponte da Barca por incumprimento no pagamento de mais de 85 mil euros de chamadas de valor acrescentado feitas para o concurso das 7 Maravilhas da Cultura Popular, realizado no ano passado e transmitido pela RTP.

Ora, de acordo com o jornal O Minho, a autarquia discorda e vai contestar este montante.

Em causa, refere aquele jornal, estão chamadas telefónicas de valor acrescentado realizadas durante aquele concurso, em que a Romaria de São Bartolomeu, em Ponte da Barca, foi eleita uma entre as 7 Maravilhas da Cultura Popular.

O vice-presidente da Câmara, José Alfredo Oliveira, que detém, entre outros, os pelouros dos assuntos jurídicos e contencioso administrativo, já lamentou que a operadora de telecomunicações não tenha “alertado a Câmara Municipal quando detetou a situação”.

O autarca garantiu que a “Câmara está de boa-fé e irá cumprir as suas obrigações, não prejudicando, sobretudo, o interesse público”.

 

PS: “Presidente da Câmara instruiu serviços a efetuarem inúmeras chamadas telefónicas”

 

Indignada com a situação está a oposição socialista na Câmara de Ponte da Barca. Em comunicado divulgado nas redes sociais, a concelhia socialista defende que “este montante resulta de mais de 80 mil euros de chamadas de valor acrescentado realizadas pelos telefones da autarquia por forma a defraudar as votações populares do concurso televisivo 7 maravilhas da Cultura Popular”, e que o Presidente da Câmara de Ponte da Barca, Augusto Marinho, “não se limitou a apelar ao voto de todos, instruiu os serviços da autarquia a efetuarem inúmeras chamadas telefónicas de valor acrescentado para votar na candidatura de que era promotor e principal beneficiado político”.

 

Socialistas barquenses indignados com a situação

[Créditos: FB PS Ponte da Barca]

 

José Alfredo Oliveira, citado pelo jornal O Minho, lamentou “profundamente esta atitude de mera politiquice, e que o PS não respeite um dos símbolos maiores do concelho”.

“Utilizar a Romaria de São Bartolomeu para jogo político manifesta, publicamente e claramente, a falta de propostas válidas para o concelho”, acrescentou ainda o Vice-Presidente da Câmara.

 

[Fotografia: Município Ponte da Barca]

 

PUB

Últimas