PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Ponte da Barca

P. Barca: Arranque do Dia do Município marcado por manifestação

24 Outubro, 2021 - 12:37

342

0

Em causa o Regimento da Câmara Municipal.

A cerimónia de hastear das bandeiras, que marca o arranque das celebrações do Dia do Município em Ponte da Barca, ficou marcada pela marcha intitulada “Luto pela Democracia”.

 

Conta a Barca FM que, em declarações aos jornalistas, o presidente da Câmara, Augusto Marinho, disse que manifestações são “um ato normal em democracia”. No entanto, para o autarca do PSD, o que “não é normal são os fundamentos” desta manifestação.

 

Em causa, revela aquela emissora, está o Regimento da Câmara Municipal. Um documento que “não se aplica aos dias de hoje”, considera José Machado, um dos organizadores da manifestação.  “Em pleno século XXI termos regimentos onde diz que os vereadores não podem dar contraresposta aos argumentos do presidente é uma coisa surreal”, considerou o membro da organização à Barca FM.

 

José Machado, que foi mandatário da juventude da candidatura do PS nas passadas eleições autárquicas, afirmou ainda que “este é um regimento de opressão” e é “bonito ver que há tantas pessoas revoltadas e outras que não estão aqui por medo de represálias”.

 

O jovem mostrou-se ainda “muito satisfeito pela adesão das pessoas que saíram à rua para lutar pelos seus direitos” e garantiu que “este movimento vai continuar enquanto as coisas continuarem assim”.

 

“Não é com gosto que saímos à rua, mas sim por necessidade e iremos sair quantas vezes forem precisas até que se faça justiça em Ponte da Barca”, finalizou José Machado.

 

Na resposta, o presidente da Câmara notou desde logo que os elementos que estão” na manifestação “são maioritariamente, senão todos, elementos que pertenceram às listas do PS” nas passadas eleições autárquicas.

 

Para Augusto Marinho, prossegue aquela emissora, o “processo eleitoral passou e os barquenses já decidiram” e agora é preciso “aceitar os resultados”, considerando que isto “revela mau perder”.

 

O autarca referiu ainda que o regimento de 2013, do executivo PS, “dizia exatamente a mesma coisa neste ponto” e considera que “no poder têm umas regras e na oposição já é diferente”.

 

Nas eleições autárquicas do passado dia 26 de setembro, para a Câmara Municipal de Ponte da Barca, o PSD liderado por Augusto Marinho venceu com 46,60% dos votos. O PS voltou a ser a segunda força política mais votada, com 44,75% dos votos. A CDU não foi além dos 2,19%. O Chega obteve 1,59% dos votos. O CDS-PP ficou-se pelos 1,25%.

 

A taxa de abstenção neste concelho foi de 36%.

 

 

[Fotografia: Barca FM]

Últimas