PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Autárquicas

Monção/Fluxo Migratório: Candidato pelo PSD acusa congénere do PS de «afirmações demagógicas»

28 Julho, 2017 - 15:32

100

0

António Barbosa lamenta um presidente da Câmara que «ficará na História por ter conseguido a triste proeza de, à presente data, todos os indicadores populacionais do nosso concelho serem negativos».

O candidato pelo PSD à Câmara de Monção nas próximas eleições autárquicas, António Barbosa, acusa o congénere do PS de ter proferido “afirmações demagógicas” no comentário feito ao fluxo migratório no concelho, divulgado no Boletim Norte Estrutura Verão 2017 emitido pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte.
Augusto Domingues, recorde-se, mostrou-se bastante satisfeito num comunicado emitido pela autarquia esta quinta-feira que dava conta de Monção ser um dos oito municípios da região norte, total de 86, que teve um saldo migratório positivo na última década (2006 – 2016). “Estes números deixam os monçanenses satisfeitos e otimistas quanto ao futuro porque demonstram a dinâmica do nosso tecido produtivo e a capacidade de gerar emprego”, disse o candidato socialista, atualmente presidente da Câmara de Monção.
A direita reagiu imediatamente. Ao cair da tarde do mesmo dia, o candidato pelo PSD considerou que “o Sr. Presidente não terá lido o documento com a devida atenção ou, se assim o fez, o que é mais grave, está a ocultar dados que são preocupantes, para o futuro do nosso município”. “De facto, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte publicou o Boletim Norte Estrutura. Boletim este que, entre outros indicadores, faz referência aos saldos migratórios em dois períodos distintos – 2006/2011 e 2011/2016. Entendo que, perante estes dados, nos devemos debruçar sobre o período mais recente, cuja responsabilidade é do actual Presidente de Câmara. Assim sendo, é com bastante preocupação que verifico que, neste período, tivemos um saldo migratório negativo”, sublinhou António Barbosa.
Em tom revoltado, o líder social democrata lamenta uma “comunicação demagógica” enviada pela autarquia à imprensa. “Este Presidente de Câmara ficará na História, por ter conseguido a triste proeza de, à presente data, todos os indicadores populacionais do nosso concelho serem negativos, ao contrário do que afirma”, atirou António Barbosa. “Não dizemos que vamos fazer melhor ou pior de quem lá está, mas temos um projeto diferente. Um projeto que passa pela parte económica, seja no apoio às empresas que existem no concelho e que têm muito para dar-nos e também a procura de maior investimento na área industrial. Algo que está completamente esquecido por parte deste executivo socialista”, lamentou.
Entretanto, ao princípio da tarde desta sexta-feira, o Município monçanense voltou a emitir novo comunicado de análise a estes dados. “Num espaço mais curto, entre 2006 e 2011, verificamos, com natural agrado, que somos o terceiro município (0,41%) com indicadores mais favoráveis em toda a região norte, 86 concelhos, sendo apenas superados por Vila Nova de Cerveira (0,70%) e Maia (0,42%). Se optarmos por um espaço mais próximo, entre 2011 e 2016, o relatório da CCDRN coloca-nos novamente em terceiro lugar entre os municípios do norte do Portugal com (-0,02%). Apenas Sernancelhe (0,02%) e Valongo (0,00%) apresentam melhores resultados”, lê-se. “Estes factos, apresentados por uma entidade insuspeita e credível, são indesmentíveis e revelam que, apesar da difícil conjuntura económica e do acentuado decréscimo populacional em todas as regiões do país, Monção consegue contrariar a tendência nacional fruto de políticas acertadas e capacidade e competitividade dos nossos empresários e investidores externos”, considera a autarquia local.

Barbosa: Afirmações de Eça Dias “demonstram crescimento da força do PSD”

Ainda à conversa com a Rádio Vale do Minho, António Barbosa desdramatizou as afirmações de José Carlos Eça Dias, candidato independente a uma Junta do concelho. Em entrevista ao «Minho Digital», o autarca de Messegães, Valadares e Sá referiu que “não faz parte do pensamento político do PSD, nesta altura, ganhar a Câmara, pois se o pretendesse fazer todos sabemos que o candidato melhor colocado, respeitado e com obra feita em Monção seria o candidato à Assembleia Municipal [Armando Fontainhas]”.
Na reação, Barbosa considera que este tipo de afirmações “só demonstram que há um sentimento de mudança no concelho. São afirmações essencialmente feitas por um conjunto de personalidades que não estão interessadas, evidentemente, que essa mudança aconteça”.
Sobre o nome de Armando Fontainhas, o candidato pelo PSD voltou a referir uma ideia já deixada. “Isto não tem a ver com pessoas! Tem a ver com projetos. Armando Fontainhas disponibilizou-se uma vez mais porque acredita verdadeiramente no nosso projeto. O povo é que vai dizer quem está melhor preparado para gerir os destinos do Município”, prosseguiu Barbosa. “As afirmações de Eça Dias demonstram claramente um crescimento da força política à direita, que é o PSD. Um crescimento que nos poderá levar à vitória nas próximas eleições autárquicas”, reiterou.

“Um por todos e todos por um!”

Foi com grande sentido de humor que o candidato pelo PSD à Câmara de Monção reagiu após um cartaz da candidatura ter sido alvo de atos de vandalismo. Num outdoor colocado à entrada da vila, foram pintados um bigode encaracolado e uma pequena barba no rosto de António Barbosa. O candidato publicou esta sexta-feira a foto da «obra de arte» nas redes sociais, acompanhada da legenda “Um por todos e todos por um!» dado que o resultado da pintura fez com que Barbosa tenha ficado com um visual a fazer lembrar um dos três icónicos mosqueteiros contados pelo escritor Alexandre Dumas. Previsivelmente, a reação suscitou aplausos e gargalhadas nos internautas. Sobretudo entre os mais jovens que louvaram o exemplo de fair play dado por António Barbosa. “É a melhor forma de lidar com este tipo de atitudes. Só acabam por dar ainda mais projeção ao António Barbosa”, disse Sara Gil, da JSD Monção, à Rádio Vale do Minho. Tida como uma das maiores promessas do partido, a jovem social-democrata não poupa elogios à resposta do candidato nas redes sociais. “Foi uma grande associação aos mosqueteiros. De facto, toda a nossa equipa tem feito jus ao lema «Um por todos e todos por um»”, acrescentou Sara Gil.
Por sua vez, António Barbosa voltou a devolver-nos um sorriso. “Nunca é bom que estas coisas aconteçam, mas de nada vale reagir de forma mais pessimista ou retaliar tentando atacar os que o fizeram”, disse. “Tentamos levar sempre em tom de brincadeira, até porque nestas alturas é preciso brincar também um bocadinho com este tipo de situações. Foi uma forma de satirizarmos também o que nos foi feito e mostrarmos assim que estamos na política de uma forma diferente. Isso é que é importante e é disso que o concelho precisa! De gente diferente, com ideias diferentes e que pense de forma diferente!”, concluiu.
Em 2013, para a Câmara Municipal de Monção, o PS obteve 37,96% dos votos. O PSD ficou logo atrás com 37,92%. A taxa de abstenção no concelho foi de 41%. As próximas eleições autárquicas realizam-se no dia 1 de outubro.

Últimas