PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

1

Monção

Monção: Vereador do PS vítima de perfil falso no facebook

29 Março, 2022 - 16:42

970

0

Filipe Quintas deu alerta ao princípio da tarde.

Filipe Quintas, vereador do PS na Câmara Municipal de Monção, foi vítima de um perfil falso no facebook. O alerta foi dado pelo próprio ao princípio da tarde desta terça-feira na sua página oficial.

 

“Por favor não aceitem amizade e denunciem este perfil FALSO com a opção “não está a usar um nome verdadeiro”. Preciso da vossa ajudar para acabar com esta fraude!”, escreveu o vereador socialista.

 

 

Alerta dado por Filipe Quintas ao princípio da tarde

[Fonte: FB Filipe Quintas]

 

 

 

Em “menos de 20 minutos” a situação foi resolvida.

 

A conta falsa terá sido eliminada pelo facebook e o vereador socialista fez questão de fazer um agradecimento à população.

 

“Perfil falso com a minha identidade eliminado pelo Facebook em menos de 20 minutos graças à vossa pronta resposta. Esperemos que tenha aprendido a lição e que não volte a fazer o mesmo! Muito obrigado a todas e todos pela ajuda”, escreveu Filipe Quintas.

 

 

Após o alerta, situação foi rapidamente resolvida

 

[Fonte: FB Filipe Quintas]

 

 

 

Como pode um cidadão reagir ao saber que foi criado um perfil falso seu numa rede social?

Segundo o portal dos Direitos e Deveres dos Cidadãos, a vítima pode exigir a remoção do perfil falso e pode propor uma acção em tribunal para exigir uma indemnização e, em certos casos, pode até apresentar queixa‑crime.

 

“A criação de um perfil falso num rede social, através do qual alguém se faz passar por outra, é uma conduta violadora dos direitos ao nome, imagem e vida privada”, lê-se.

 

“Nesta situação, o cidadão pode, antes de mais, exigir a remoção do perfil falso junto da empresa responsável pela plataforma da rede social utilizada, caso a falsidade seja manifesta. Algumas plataformas já disponibilizam ferramentas que permitem aos utilizadores denunciar perfis falsos, o que facilita este processo”, acrescenta aquele portal.

 

Em certos casos, “será ainda possível apresentar queixa‑crime, designadamente por crime de burla, difamação, devassa da vida privada, violação de correspondência, utilização de fotografias contra vontade, ou acesso ilegítimo em sistema informático”.

[Fotografias: FB Filipe Quintas]

Últimas