PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

4

8

Monção

Monção: Junta de Freguesia de Merufe tem um buraco financeiro de 250 mil euros

5 Dezembro, 2021 - 20:21

8962

1

Número divulgados em reunião extraordinária.

A Junta de Freguesia de Merufe tem um buraco financeiro na ordem dos 250 mil euros. O valor foi anunciado este domingo, pelo atual Executivo liderado por Fernando Pinto (PSD) em reunião extraordinária daquele órgão, que contou com a presença de dezenas de populares na assistência.

 

A reunião começou de forma insólita, com a Presidente da Assembleia de Freguesia, Sónia Pinto, a apresentar a renúncia ao cargo por razões que ficaram pouco claras. Ausentou-se da sala. A sessão prosseguiu, com a imprensa proibida de recolher som.

 

Foi dada a palavra à atual contabilista da Junta de Freguesia de Merufe, Vera Amorim, que expôs a situação financeira daquele órgão. Entre termos mais técnicos, o público ficou a perceber que o anterior Exectutivo, liderado por Márcio Alves (independente), passou a informação ao atual de que não havia valores em dívida. Só que há.

 

“Neste momento, a Junta de Freguesia de Merufe tem um valor pendente de pagamento a fornecedores num montante total de cerca de 150 mil euros. A este valor, ainda temos de adicionar um contrato de empreitada que foi realizado de cerca de 100 mil euros”, disse a contabilista no final, em declarações à Rádio Vale do Minho.

 

E agora? “Esta informação vai ser enviada ao Tribunal de Contas e à Inspeção-Geral de Finanças. Não existem valores por receber, mas existe aqui um valor alto por pagar” a 11 fornecedores.

 

 

“Estamos condicionados para os quatro anos, a correr bem!”

O presidente da Junta de Merufe, Fernando Pinto, mostra-se evidentemente preocupado com esta situação que – lamenta – irá condicionar de forma significativa o trabalho do novo Executivo durante os próximos quatro anos.

 

“A nossa preocupação agora é tentar renegociar estes valores que, de facto, vão condicionar-nos nestes quatro anos de governação. As autoridades competentes vão agora investigar e fazer a sua análise”, disse o presidente da Junta à Rádio Vale do Minho.

 

“Hoje quisemos sobretudo dar conhecimento à população, dado que não podíamos continuar sem que a população de Merufe soubesse o que se passa”, sublinhou Fernando Pinto, que venceu pelo PSD as eleições autárquicas realizadas no passado dia 26 de setembro.

 

Questionado sobre até que ponto estes números vão condicionar o trabalho da Junta, o presidente teve resposta imediata. “Em tudo. Estamos condicionados para os quatro anos, a correr bem!”, exclamou.

 

“Se não tivermos a ajuda da Câmara Municipal, será de todo impossível fazer qualquer intervenção na nossa freguesia”, lamentou.

 

 

“É falso! Completamente falso!”, garante o anterior presidente da Junta

O anterior presidente da Junta de Freguesia de Merufe não marcou presença nesta reunião extraordinária. Contactado pela Rádio Vale do Minho, o independente Márcio Alves mostrou-se surpreendido com os valores divulgados.

 

“Sinceramente não sei onde foram buscar esses números. É falso! Completamente falso!”, assegurou na certeza de que a anterior Junta deixou contas “equilibradas”.

 

Reiterando que os números proferidos “não são reais”, Márcio Alves diz lamentar “profundamente” que “o atual Executivo tenha vindo para uma reunião dizer disparates quando isso poderia ter sido esclarecido com o anterior Executivo se eles assim o entendessem. Coisa que não aconteceu porque eles não quiseram!”.

 

Márcio Alves resume todo o discurso por parte do Executivo laranja como um “mar de mentiras”.

 

“Iremos ler as atas e, a confirmar-se que isso foi dito, iremos agir judicialmente contra pessoas que nos estão a caluniar”, assegurou.

 

“Admira-me uma Junta que diz que não tem dinheiro e que já anda a fazer obras. Quando não se tem dinheiro não se faz obras! Das duas uma: ou ainda querem enterrar mais a Junta ou não sabem o que andam a fazer”, concluiu.

 

 

[Fotografia: Rádio Vale do Minho]

Últimas