PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Monção

Monção: Festa de Nª Srª da Cabeça está de volta – Veja o PROGRAMA

21 Março, 2022 - 21:42

1823

0

Festividades regressam após dois anos suspensas devido à COVID-19.

A Festa em Honra de Nossa Srª da Cabeça, na freguesia de Côrtes, em Monção, está de volta. Após dois anos de suspensão devido à pandemia da COVID-19, a próxima edição destas festividades tem já data marcada para os próximos dias 17, 18 e 19 de abril.

 

O dia 17, domingo, arranca pelas 10h00, com abertura a cargo do Grupo de Gaiteiros Orballo. Às 11h30 realiza-se a Missa Solene em Honra de Nª Srª da Cabeça dedicada aos emigrantes. Durante a tarde, a partir das 16h00, nova atuação dos Orballo. Duas horas depois, sobe ao palco a Orquestra Cor do Som. À noite, pelas 21h30, um arraial noturno abrilhantado pela Orquesta Cor do Som e New York.

 

Na segunda-feira, dia 18, haverá alvorada com salva de morteiros pelas 6h00. Para as 13h00, uma grande tirada de fogo. Durante a tarde, às 16h00, atua o Grupo de Bombos Toca a Bombar. Duas horas depois, sobe ao palco o grupo Diana&Anjinho. Mais à noite, a partir das 22h00, um “grandioso arraial”, animado pelo Grupo Função Públika e com o DJ Pedro Pagodes. Para a meia-noite está prevista uma sessão de fogo de artifício.

 

Na terça-feira, último dia das festas, o arranque está marcado para as 9h00 com a entrada da Banda Musical de Monção. Às 11h00 começa a Missa Solene com Sermão, seguida da Majestosa Procissão acompanhada de Quadros Bíblicos e orquestrada pela Banda Musical de Monção  e pela Fanfarra Deu-la-Deu S. Tiago de Pias. Já durante a tarde, a partir das 17h00, um concerto da Banda Musical de Monção. À noite, pelas 21h30, mais um “grandioso arraial” abrilhantado pelos Roconorte. Vai também realizar-se o sorteio das rifas.

 

Festa secular

Além do seu aspeto festivo, com atuação de grupos populares e orquestras galegas, a celebração da Senhora da Cabeça, logo a seguir à Páscoa, assume-se, desde muitas décadas, como uma festa dedicada ao convívio e confraternização com famílias inteiras a fazerem o merendeiro nas zonas sombreadas próximas da capela.

Em tempos idos, quando Monção ainda tinha a estação de comboios em funcionamento, milhares de pessoas deslocavam-se, nestes dias, da sede do concelho até ao apeadeiro de Cortes, num percurso de três a quatro quilómetros. A afluência era tanta que a CP fazia horários especiais para cobrir as necessidades da procura.

Ao caráter festivo e confraternizador da festa, junta-se uma acentuada e sentida carga religiosa. O interior da capela está sempre decorado a rigor, sendo habitual a presença de crentes no pagamento de promessas. Por tradição, adquirem uma cabeça de cera de Nossa Senhora e cumprem o prometido na procissão ou à volta da capela.

 

 

[Fotografia: Arquivo/DR]

Últimas