PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Monção

Monção: Dezenas de professores concentraram-se na Praça da República [FOTOS]

3 Março, 2023 - 01:02

1725

1

Manifestação.

Dezenas de professores alto-minhotos concentraram-se esta quinta-feira à noite na Praça da República, em Monção, naquela que foi mais uma ação de protesto contra as políticas do atual Governo para a Educação.

 

Para além de vários docentes de Monção, marcaram também presença professores vindos de outros concelhos, com o concelho vizinho de Valença representado também em grande força. 

 

Solidários com esta iniciativa, juntaram-se aos docentes vários pais e encarregados de Educação e outras individualidades, nomeadamente o Presidente da Câmara Municipal de Monção, António Barbosa, e a Vereadora da Educação, Daniela Fernandes.

 

“Estamos a lutar contra a degradação da Escola Pública. Quando falamos em degradação, isso quer dizer que já vem de décadas. E cada vez esta pior”, lamentou à Rádio Vale do Minho Renato Pombo, professor do 1º Ciclo do Ensino Básico.

 

“Penso que já ninguém olha para a Escola Pública com um olhar de futuro. Olham sempre para tudo com um olhar de presente, com um lado monetário e como se o mundo e a sociedade fossem feitos à base de números”, desabafou. “As crianças não são números! As pessoas não são números!”, atirou.

 

Nos cartazes presentes liam-se palavras como “justiça”, “dignidade” e “respeito”.

 

 

 

Veja a galeria de fotos [Rádio Vale do Minho]

 

 

 

Entre as várias reivindicações, os professores continuam a exigir “a contagem do tempo de serviço” e o fim “das injustiças criadas” pelo atual modelo de avaliação dos professores.

 

 

De mãos dadas na Ponte Eiffel em Viana

Para o próximo dia 11 de março está já marcada uma outra ação de protesto, desta vez em Viana do Castelo.

 

Intitula-se Criar Pontes na Educação.

 

O evento consistirá na formação de um cordão humano ao longo da Ponte Eiffel, em Viana do Castelo, em que os participantes, vindos das duas margens do rio, darão as mãos entre si numa corrente de cidadãos unidos na passagem pedonal a jusante da ponte, virados à foz.

 

Esta iniciativa, inicialmente prevista para 4 de março, foi adiada por uma semana de forma a não colidir com as manifestações de professores, em Lisboa e Porto, convocadas posteriormente para
esse dia por vários sindicatos.

 

A concentração de participantes far-se-á em ambas as margens do rio Lima a partir das 15h30. Pelas 16h00, os participantes de ambos os lados caminharão para a ponte onde se formará o cordão humano.

 

“Este gesto simbólico representa a união de todos na defesa de uma escola pública de qualidade bem como a capacidade de se criarem ligações unindo partes separadas”, explicou a organização.

 

“Este simbolismo, para além de se poder aplicar à situação atual de divergência entre os profissionais de educação e a tutela, consubstancia também o papel da escola pública como mitigador das diferenças sociais e elemento de ligação entre todos, como elo intergeracional transmissor dos mais nobres valores sociais, como fator de coesão social das comunidades e onde todos têm lugar”, acrescentou.

 

“Este evento é aberto a pais, alunos, famílias, em geral a todos os cidadãos que se revejam nas causas que defendemos e que a ele entendam aderir”, acrescenta.

 

 

 

[Fotografias capa: Rádio Vale do Minho]

Últimas