PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

1

Monção

Monção anuncia a lampreia e convida o mundo a provar o melhor do concelho

7 Janeiro, 2022 - 14:01

1040

0

No rio Minho, a pesca da lampreia começou em 3 de janeiro e prolonga-se até 16 de abril.

Vários restaurantes de Monção já estão a servir lampreia do rio Minho. Trata-se de um dos pratos emblemáticos do Vale do Minho e, todos os anos, milhares de portugueses e galegos rumam a esta zona do País para degustar o afamado ciclóstomo confecionado das mais variadas formas. Arroz de lampreia e Lampreia à Bordalesa estão, evidentemente, no topo das preferências.

 

Mas existem também opções mais contemporâneas, como o sushi de lampreia, lampreia de escabeche ou empanada de lampreia.

 

Este repasto tradicional, confecionado com recurso a segredos culinários passados de geração em geração, é acompanhado pelos produtos vínicos da Região de Monção e Melgaço, tais como, o afamado vinho Alvarinho, e pela saborosa doçaria tradicional, onde pontificam as Roscas de Monção, elevada em 2019 a uma entre as 7 Maravilhas Doces de Portugal.

 

“Há coisas que nunca mudam, e ainda bem, porque na gastronomia, o respeito pela sazonalidade é uma das regras básicas de qualquer cozinha. Prova disso, é a “Lampreia à Moda de Monção”, um prato de excelência, dos mais característicos da gastronomia local”, realça o Município de Monção.

 

 

Ainda é pouca… mas é boa

Até ao momento, o rio Minho ainda está a dar pouca lampreia… mas de boa qualidade. O presidente da Associação de Pescadores do rio Minho e do Mar, Augusto Porto, explicou ser normal a escassez de exemplares no rio Minho no início do período de pesca do ciclóstomo, na segunda-feira.

 

No arranque da safra, disse o responsável, os preços oscilam entre os 30 e os 40 euros, por exemplar.

 

No rio Minho, a pesca da lampreia começou em 3 de janeiro e prolonga-se até 16 de abril. A atividade decorre em cerca de 35 quilómetros daquele curso internacional, variando em função da arte utilizada, já que pode ser feita com “lampreeiras”, a bordo de embarcações artesanais, ou com pesqueiras armadas, arte denominada botirão e cabaceira (estruturas antigas, em pedra, existentes no rio).

Este ano, estão matriculadas em Portugal 144 embarcações para a pesca da lampreia e 80 para o meixão, e, em Espanha, 65 para a lampreia e 71 para o meixão.

 

 

[Fotografia: Município Monção]

Últimas