PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Melgaço

Melgaço: Voos em balão vão regressar ao Município mais a norte (e a “preço especial”)

13 Junho, 2022 - 22:09

627

0

Experiência única.

Os voos em balão de ar quente vão regressar a Melgaço nos próximos dias 9 e 10 de agosto.

 

Segundo a CoralTours Minho, empresa de animação turística promotora desta iniciativa, os voos vão realizar-se sempre às 18h00 a um “preço especial” de 25 euros por pessoa. 

 

Nas redes sociais, a empresa convida a “fazer a sua reserva entre amigos, familiares ou mesmo só”. De referir que os voos realizam-se com um máximo de cinco passageiros a bordo.

 

 

Voos em balão no concelho de Melgaço a 25 euros, mas só a 9 e 10 de agosto

[Foto: Coraltours Minho]

 

 

Caso a reserva seja feita no próprio dia, o preço da entrada será de 35 euros.

 

Recorde-se que foi durante o mês de julho de 2020 que Melgaço se estreou nestes passeios de balão de ar quente. A Rádio Vale do Minho subiu também a bordo da viagem inaugural. 

 

Foi extraordinário! Foi uma experiência única! Quem acompanhou teve essa noção. Ver toda esta paisagem… descer e quase tocar o rio Minho… depois subir acima das nuvens… foi uma experiência mesmo única”, disse na altura o presidente da Câmara, Manoel Batista, visivelmente rendido.

 

 

É o mais antigo veículo aéreo de toda a história

O balão de ar quente é o mais antigo veículo aéreo de toda a história da humanidade. O primeiro voo controlado num balão de ar quente foi realizado pelos franceses Jean-François Pilâtre de Rozier e François Laurent d’Arlandes, a 21 de Novembro de 1783, em Paris.

 

Como qualquer aeronave, os balões de ar quente podem voar para além da atmosfera. Atualmente, os balões de ar quente são fabricados em nylon ou politereftalato de etileno. Os cestos são frequentemente compostos por vime ou canas.

 

Estes materiais têm provado ser, ao longo do tempo, resistentes o suficientes, leves, fortes e com uma duração sustentável de acordo com a esperança média de vida conforme o uso do próprio balão. Os cestos são muitas vezes retangulares ou triangulares.

 

Em Portugal, uma pessoa para tornar-se num piloto de balões de ar quente necessita de receber formação, teórica e prática, sobre diversos temas que envolvem o balonismo, como a meteorologia, radiotelefonia, conhecimentos sobre materiais, entre outros, de acordo com a Circular de Informação Aerónautica (CIA) n.º 15 de 2009.

 

Embora o curso de pilotagem possa ser tirado numa escola de aviação de aeronaves de motor, a primeira escola especialmente para pilotos de balões de ar quente em Portugal abriu portas apenas em 2012, no Alentejo.

 

 

[Fotografia: Arquivo/Município Melgaço]

Últimas