PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

1

0

Melgaço

Melgaço vai remodelar rede de abastecimento de água da Vila

10 Dezembro, 2021 - 11:12

542

0

Investimento a rondar os 430 mil euros.

O Município de Melgaço vai proceder à remodelação da rede de abastecimento de água da Vila, infraestrutura com mais de 50 anos e numa extensão de 4,54 Km: serão beneficiadas 4.107 pessoas, num investimento de cerca de 430 mil euros que contribuirá para uma redução das perdas reais de 5,44%.

 

“Pretende-se com esta intervenção uma redução da carga nos esgotos, uma melhoria da satisfação do cliente através da melhoria da qualidade do serviço e da garantia de água em quantidade, qualidade e pressão suficientes, uma redução dos riscos para a saúde e uma maior segurança no abastecimento e, também, diminuir os custos energéticos e operacionais, o que se traduz na diminuição do custo de cada m³ de água”, explica o Município.

 

A ação está inserida no projeto Redução das perdas de água nos sistemas de Abastecimento de Água no concelho de Melgaço (POSEUR-03-2012-FC-001400), atualmente com um investimento de 651.433,51 euros e uma taxa de cofinanciamento expectável de 59,59%.

 

“O investimento em questão permitirá requalificar a rede de abastecimento de água dentro do núcleo histórico e zona envolvente, através da substituição de condutas com características obsoletas no que respeita à sua robustez e características funcionais”, refere a autarquia.

 

As ações a implementar irão dotar a rede de capacidade de abastecimento de água potável à população residente, com uma elevada eficiência de perdas, uma disponibilização de caudais e pressões adequadas às exigências atuais e futuras, além de garantir capacidade disponível para o combate a incêndios. Para o efeito foi já iniciada a empreitada que irá concretizar o pretendido, sendo que até ao final do ano se prevê a requalificação em algumas vias limítrofes do centro histórico, como a Rua dos Buraquinhos, parte da Rua da Carvalhiças e Rua das Piscinas.

 

“O combate às perdas e o aumento do controlo da qualidade das águas são prioridade para o Município de Melgaço. Neste sentido, o município adquiriu equipamentos para a deteção e localização de fugas, está a instalar sistemas inteligentes e zonas de medição e controlo, nesta primeira fase na freguesia de Vila, para que seja possível obter medições mais precisas, por zonas, e assim identificar quais as zonas a intervir de forma prioritária”, aponta a vereadora dos Serviços Urbanos e Ambiente, Fátima Táboas.

 

A criação de Zonas de Medição e Controlo (ZMC´s) permite, de forma sistemática, aceder aos dados mais relevantes para uma correta monitorização da rede e implementação de telegestão, da substituição de condutas das infraestruturas mais suscetíveis de originarem perdas, bem como da impermeabilização de reservatórios. Todos estes investimentos representam o esforço continuado do Município melgacense em conhecer e gerir de forma mais eficiente as suas redes.

 

Recorde-se que já em 2018, na sequência de uma candidatura ao POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos para Elaboração de cadastro de redes de água e saneamento do concelho de Melgaço (POSEUR-03-2012-FC-000061), o Município havia investido mais de 220 mil euros (com um apoio financeiro do Fundo de Coesão de mais de 187 mil EUR), com o objetivo de cadastrar a totalidade da extensão de rede de saneamento de águas residuais e de rede de abastecimento de água sob gestão do Município.

 

Fruto desse investimento, e de acordo com o último relatório validado pela ERSAR, foi possível atingir um índice de conhecimento infraestrutural das redes de 115, numa escala de 0 a 200, o que se traduz num aumento de 60%, superior à meta a que o Município se comprometeu em sede de candidatura, “o que resultou num contributo mais eficiente das infraestruturas, uma diminuição do número de perdas, informação atualizada e pertinente para o utilizador, alcançando-se um uso mais eficiente dos recursos hídricos”.

 

 

Investimento superior a três milhões

“Desde 2004 que tem sido feito um grande esforço por parte do Município de Melgaço para que, atualmente, a cobertura da rede seja de 100% a nível populacional e para que os melgacenses tenham um serviço de abastecimento de água de excelência, quer ao nível de quantidade quer de qualidade”, realça o Município presidido por Manoel Batista.

 

“Naquela altura, uma grande parte da população tinha sistemas de abastecimento de água precários, particulares e sem controlo, o que acarretava grande riscos para a saúde pública e exigia um esforço acrescido para garantir que as ampliações e requalificações da rede eram feitas de forma sustentada, uma vez que se trata de uma população maioritariamente rural, com moradias muito dispersas, onde por vezes foi necessário ampliar a rede em 1 km, para abastecer uma casa”.

 

O investimento, superior a três milhões de euros, cofinanciado pelo Plano Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), do Portugal 2020, “permite agora um serviço de água mais eficiente, garantindo uma melhor gestão e contribuindo para uma maior sustentabilidade deste recurso natural essencial, mas cada vez mais escasso”.

 

Melgaço gere 26 zonas de abastecimento de água para consumo humano, provenientes de 55 origens próprias, abrangendo 6.556 consumidores. Como entidade gestora dos sistemas de abastecimento de água tem ainda sob a sua gestão uma zona de abastecimento em que a água é comprada à empresa Águas do Norte, SA e que abrange 1.442 habitantes. Neste contexto importa ainda referir que os sistemas de água sob gestão do Município de Melgaço são constituídos por 401 Km de rede de abastecimento, 6.629 ramais domiciliários e 22 reservatórios com a capacidade máxima de 3.645 m3.

 

O Município está também a requalificar todos os depósitos de captação e reservatórios.

 

“Embora os incumprimentos verificados nos sistemas sejam em 90% dos casos problemas de PH, o que não acarreta problemas diretamente na saúde das populações, está a ser preparada uma empreitada, para o próximo ano, que prevê a integração de sistemas para proceder à correção do PH da água, através de filtros e/ou a injeção de reagentes”, concluiu a vereadora do ambiente.

 

 

[Fotografia: Município Melgaço]

Últimas