PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Melgaço

Melgaço: Presidente da Câmara preocupado com “instabilidade” nos Bombeiros

5 Novembro, 2021 - 11:10

520

0

Notícias de desmotivação deixam Manoel Batista apreensivo.

O Presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Manoel Batista, manifestou-se esta sexta-feira bastante preocupado com o “desenrolar dos últimos acontecimentos” na Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários.

 

Um grupo de Bombeiros da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Melgaço (AHBVM) diz-se revoltado com o que considera serem cortes salariais “ilegais” de que foram alvo nos últimos meses.

 

A notícia, que foi avançada pelo jornal Voz de Melgaço, dá conta de que foi retirada àqueles profissionais uma parcela no ordenado. Montante este calculado pela Direção da corporação que o suspendeu devido a “eventuais faltas na limpeza das viaturas de serviço”.

 

Face a esta suspensão, os profissionais afectados pelos cortes recorreram para a Autoridade para as condições do Trabalho (ACT), que confirmou existir uma “ilegalidade” nesta redução salarial.

 

Aquele periódico dá ainda conta de uma desmotivação crescente nos Bombeiros de Melgaço. Fonte da corporação disse àquele jornal que “há já alguns que falam em procurar novos horizontes, inclusive um deve sair já este mês [novembro]. A única vontade que existe é de abandonar tudo”.

 

O cenário, evidentemente, esta a inquietar o Executivo Municipal.

 

“É inegável a importância da corporação na vida da nossa terra e a sua instabilidade deixa-nos apreensivos. Temos muito respeito pelo trabalho desenvolvido por todos os Soldados da Paz e desejamos que esta situação seja resolvida rapidamente, a bem de todos. Acompanharemos e estaremos atentos”, alertou Manoel Batista.

 

Um sentimento que, garante, é partilhado pelo Vice-Presidente da Câmara, José Adriano Lima, e pela vereadora Fátima Táboas.

 

Contactado pelo Voz de Melgaço, o presidente da AHBVM, Luís de Matos, garantiu que todos os pagamentos relativos às Equipas de Combate a Incêndios (ECIN) já estão “regularizados”. O único assunto pendente, acrescentou, prende-se com o “inquérito às faltas”.

 

 

[Fotografia: Arquivo/Município Melgaço]

Últimas