PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Melgaço

Melgaço: Orçamento de 26,7 milhões aprovado em Assembleia Municipal

18 Dezembro, 2021 - 21:17

698

0

Documento destaca-se pela “aposta forte no apoio ao setor empresarial”.

A Assembleia Municipal de Melgaço aprovou este sábado, por maioria, o Plano e Orçamento Municipal para 2022, num total de 26,7 milhões de euros, dois quais cerca de 13 milhões são para investimento.

 

As maiores fatias destinam-se: à zona empresarial de Alvaredo, que representa 11,03% do valor global do orçamento; aos Equipamentos Desportivos e de Lazer com 8,32% do investimento; e à manutenção da rede viária, que significa 6,69% do orçamento.

 

A realçar ainda as Infraestruturas de Dinamização do território, com 4,06% do investimento, e os Equipamentos Culturais com 3,73% do orçamento.

 

Apoio ao setor empresarial

De destacar neste orçamento, a continuação da “aposta forte no apoio ao setor empresarial”. Após passar uma primeira fase, Melgaço submeteu, ainda em 2021, candidatura a Aviso-Convite do PRR para um upgrade tecnológico à Zona Industrial de Penso, no âmbito das Áreas de Acolhimento Empresarial de Nova Geração, com um valor de cerca de 15 milhões de euros, tendo a mesma já sido aprovada, estando nesta fase em audiência prévia.

 

“Temos aqui uma oportunidade para dar mais um passo no posicionamento de Melgaço enquanto território central na atratividade empresarial no contexto Galiza-Norte de Portugal, com condições vantajosas face a outras geografias para enfrentar a transição energética e digital em curso”, disse o presidente da Câmara, Manoel Batista (PS).

 

“A formulação das Grandes Opções do Plano e Orçamento da Câmara Municipal de Melgaço para 2022 ocorre num contexto atípico, marcado por dois fatores condicionadores. Primeiro pela pandemia do novo coronavírus (COVID-19), e cujo desfecho temporal é imprevisível; segundo, pela elaboração do mesmo ser prévia à elaboração e aprovação do Orçamento de Estado para 2022 na Assembleia da República, desconhecendo-se, pois, as linhas estratégicas e as condicionantes que vão ser definidas nesse documento”, realçou o autarca melgacense.

 

A maioria socialista reconheceu “constrangimentos” na elaboração do Plano e Orçamento para 2022, mas assume o compromisso com o território de “conduzir a sua ação estratégica na aceleração da economia, na criação e manutenção do emprego e ainda no fortalecimento do tecido social, para que a qualidade de vida, uma das principais marcas do concelho seja preservada”.

 

Assegura a equipa liderada por Manoel Batista que, em 2022, “é com renovada esperança e certeza que este Executivo irá continuar a trabalhar por um Melgaço mais competitivo e mais atrativo para todos quantos nele queiram viver, investir, trabalhar e visitar”.

 

“Continuaremos a apostar num conjunto de iniciativas assentes na estratégia de desenvolvimento sustentável do Concelho e de melhoria da qualidade de vida para quem nele habita. A gestão orçamental continuará a pautar-se por elevados níveis de rigor e exigência que consideramos serem essenciais no cumprimento das metas que traçámos”, garantiu o presidente da Câmara.

 

 

Confira os principais itens do Plano e Orçamento de Melgaço para 2022:

  • Zona Industrial de Alvaredo, um investimento de 2.711.820,22 euros, cofinanciado pelo FEDER no montante de 1.500.000,00€, no âmbito do Programa Operacional Regional do Norte, Norte2020;
  • Requalificação das Piscinas Municipais, num investimento de mais de 2 milhões de euros e financiada através de contrato de financiamento celebrado ao abrigo do IFRRU 2020;
  • Reabilitação da Igreja Convento São Salvador de Paderne, um investimento total de 1.053.390,50 euros (FEDER, Norte 2020: 500.000€; Financiamento público nacional (Protocolo com Estado – via DGTF – Direção Geral do Tesouro e Finanças): 553.390,50 euros);
  • Redução das perdas de água nos sistemas de AA no concelho, um investimento de 574.838,32 euros financiado pelo POSEUR em 229.935,33 euros;
  • Rede Municipal de Trilhos Pedestres e Cicláveis, com um orçamento de cerca de 540 mil euros e financiada pelo Turismo de Portugal em 400 mil euros.

 

Na votação, o documento foi aprovado por maioria. Contou com os votos contra dos nove deputados do PSD.

 

 

 

[Fotografia: Município Melgaço]

Últimas