PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

2

4

Melgaço

Melgaço: “O que não nos mata, fortalece-nos” – Diretora do Agrupamento de Escolas quebra o silêncio

11 Abril, 2022 - 15:03

3867

1

Na origem, uma reportagem da CNN Portugal sobre um caso de bullying naquele agrupamento.

“O que não nos mata, fortalece-nos”. As palavras foram escritas pela Diretora do Agrupamento de Escolas de Melgaço, em exclusivo, à Rádio Vale do Minho.

 

Dois meses após uma reportagem da CNN Portugal sobre um caso de bullying naquele agrupamento, Paula Cerqueira decidiu quebrar o silêncio sobre o processo disciplinar que lhe foi instaurado.

 

Na origem, recorde-se, está um aluno que disse àquele canal de notícias ter sido vítima de bullying durante sete anos.

 

Logo após a reportagem, a Rádio Vale do Minho entrou em contacto com Paula Cerqueira que optou por não fazer quaisquer comentários. No entanto, deixou claro à Rádio Vale do Minho que estava a terminar mais um dia de trabalho nas funções que exerce.

 

Referiu a CNN Portugal que a Diretora do Agrupamento de Escolas de Melgaço foi alvo de um processo disciplinar que, segundo a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), implica a“suspensão graduada em 80 dias, suspensa na sua execução pelo período de dois anos. E ainda, a sanção disciplinar acessória de cessação da comissão de serviço, igualmente suspensa pelo período de dois anos”.

 

 

“Repor a verdade”

Em nota enviada esta segunda-feira à Rádio Vale do Minho, a Diretora do Agrupamento começa desde logo com a intenção de “repor a verdade dos factos”. 

 

“Nunca estive suspensa de funções continuando a exercer o meu cargo com o empenho, disponibilidade, entrega e responsabilidade de sempre”, assegura Paula Cerqueira.

 

“Agradeço e valorizo a solidariedade pessoal e institucional que senti por parte de alguns elementos da comunidade escolar e educativa, a qual contribuiu para ir colmatando o sentimento de injustiça resultante da inverdade e distorção de factos que constatei em várias fases deste período”, lamenta.

 

No entanto, a consternação da responsável não se esgota aqui.

 

“Constato, com muita preocupação e tristeza, que o apuramento dos factos estará sempre condicionado pela honestidade de quem os apresenta, bem como com a (im)parcialidade de quem tem o dever de os analisar e confrontar. Este desfecho não constitui o alívio e o garante de que a nossa paz de espírito resulta sempre e só, do cumprimento zeloso dos nossos deveres e obrigações”, sublinha Paula Cerqueira.

 

“Seguindo a máxima de que o que não nos mata, fortalece-nos, e convicta de que o que realmente importa é sermos fiéis aos nossos princípios, aos nossos valores, à nossa Missão de agentes educativos, continuo no exercício das minhas funções, mantendo o propósito de sempre: trabalhar com o poder local e os restantes parceiros, numa atitude de respeito mútuo e lealdade profissional, reconhecendo as hierarquias, tentando representar o Ministério que integro com o maior profissionalismo possível, independentemente de concordar ou não com as orientações emanadas”, reiterou.

 

“Como sempre, como diretora, como professora ou como cidadã e principalmente como Melgacense aqui continuarei a trabalhar em prol da minha terra”, garante Paula Cerqueira.

 

 

[Fotografia: Ilustrativa/Google Maps]

Últimas