PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Destaques
Melgaço

Melgaço: Largo do Mercado encheu para ver e ouvir José Cid

13 Agosto, 2018 - 07:17

341

0

O Largo do Mercado, em Melgaço, encheu para ver e ouvir José Cid que atuou no Município mais a norte de Portugal no âmbito da digressão 2018 que o cantor […]

O Largo do Mercado, em Melgaço, encheu para ver e ouvir José Cid que atuou no Município mais a norte de Portugal no âmbito da digressão 2018 que o cantor está a fazer pelo país. O espetáculo do cantor integrou o programa de verão da autarquia Melgaço em Festa que se prolonga até ao próximo dia 17 de agosto. A Rádio Vale do Minho assistiu ao espetáculo e falámos até com o artista. Já lá vamos. Entre a multidão encontrámos o presidente da Câmara, Manoel Batista, que aplaudia e batia o pé ao ritmo dos temas do cantor que prima por uma forte interação com o público. “Está a ser um concerto muito bom! Conheço o José Cid há muitos anos. Nunca o tinha visto ao vivo e estou a gostar imenso. Um concerto muito eclético. Muito interessante com muita boa música e bons instrumentistas”, disse o autarca aos microfones da Rádio Vale do Minho.

 

O concerto de José Cid foi o culminar de um fim-de-semana em que Melgaço passou três dias mergulhado em pleno séc. XIV. O Mercado Medieval fez as delícias de miúdos e graúdos com todo o género de atividades que passaram por cortejos históricos, demonstrações de voo de aves de rapina, encenações e muita música da época. Foi a primeira vez que uma atividade do género se realizou e Manoel Batista não escondeu um sorriso de satisfação. “Excelente! Mas foi o primeiro ano. Como tal, nunca se podem ter objetivos exagerados. E foram todos conseguidos”, realçou. “Tivemos muita gente. Muita atratividade. Foi um fim-de-semana que trouxe grande dinamismo à vila… correu muito bem”, concluiu Manoel Batista.

 

José Cid: “Sistema português não protege aquilo que deve”

 

Foi com ar simpático, sorridente e sem manias que José Cid abriu as portas do palco à Rádio Vale do Minho antes do espetáculo. A sós, rodeados por todos os instrumentos musicais, falámos com o cantor que não resistiu a adiantar-nos pormenores sobre um tema que está em voga. “Sim. Vou mesmo gravar um single dos U2. Será a Where the Streets have no name. Talvez em versão fado”, disse. Um tema que vai integrar um futuro álbum a ser lançado provavelmente dentro de dois anos. Já sobre a banda irlandesa, que vai atuar em Portugal nos próximos dias 16 e 17 de setembro, José Cid admite que “são geniais” mas lamenta o descuido que o vocalista do grupo teve com a voz ao longo dos últimos tempos. “O Bono está com a voz desgraçadinha de todo. Só tem andado em charros, álcool e gelo… Já não tem a voz que tinha! Os cantores, quando são cantores, têm de proteger a voz. Não podem fumar nem fazer noitadas”, disse enquanto ensaiava já um rascunho da Where the Streets have no name… em fado.

 

José Cid já quase não tinha memória da última vez que esteve em Melgaço. “Isto está completamente diferente e está fantástico”, avaliou. Questionado sobre gastronomia, o cantor partiu logo para o ex-libris da região. “O Alvarinho está entre os vinhos que mais gosto. O Vinho Verde é mesmo aquele que mais aprecio. Só que tenho ácido úrico e faz-me muito mal”, admitiu. “De maneira que quando sei que venho a sítios em que vou beber vinho verde tomo o meu Zyloric e já posso abusar”, confessou com uma gargalhada. “É um vinho completamente genuíno. Único no mundo. Deveria proteger-se muito mais do que se protege. O sistema português protege muitas vezes o que não deve e não protege aquilo que deve”, finalizou.

O Melgaço em Festa prossegue com a Festa Castreja, a decorrer em Castro Laboreiro entre 14 e 16 de agosto. Encerra no dia seguinte com a Festa do Emigrante, no centro da vila.

 

PUB

 

Últimas