PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Melgaço

Melgaço: Fazer todos os trilhos é agora como ir daqui a Espinho

20 Junho, 2023 - 19:15

1102

0

Rede de Trilhos Pedestres e Cicláveis.

No total, são agora 170 quilómetros de extensão. O Município de Melgaço deu esta terça-feira como concluída a Rede de Trilhos Pedestres e Cicláveis do concelho.

 

Com a finalização da obra do trilho do Mouro, Melgaço conclui o projeto da Rede de Trilhos Pedestres e Cicláveis e, respondendo à procura que o concelho tem tido no que respeita ao alojamento turístico, requalificou edifícios de uma antiga casa de guarda-florestal – a Zona de Lazer das Veigas.

 

Os projetos em questão vêm completar a oferta de Melgaço no que respeita ao Turismo de Natureza. Segundo a autarquia “tem registado um enorme crescimento, atraindo visitantes de Portugal, mas também internacionais”.

 

“São duas importantes e relevantes obras, que se assumem como potenciadoras da melhoria da experiência do nosso produto âncora, o Turismo de Natureza, e das condições de usufruto do nosso território”, refere o Presidente da Câmara, Manoel Batista.

 

Estas duas obras, em Castro Laboreiro, vão ser inauguradas na próxima sexta-feira, durante a manhã. No total, representam um investimento de meio milhão de euros.

 

O trilho do Mouro faz parte de uma rede mais alargada de trilhos, num total de cerca de 170 km, de extensão.

 

Melgaço oferece agora 16 trilhos que se desenvolvem, na sua maioria, na zona sul do concelho, percorrendo todas as freguesias, sobretudo as zonas altas onde predominam as nascentes de vários rios e ribeiras, que ali se desenvolvem, pertencentes, principalmente, à bacia hidrográfica do rio Minho, destacando-se aqui os rios Trancoso, Mouro e também o Laboreiro, que desagua no Rio Lima.

 

A Rede de Trilhos assume-se como um itinerário principal, a partir do qual surgem ramificações que permitem aos utilizadores fazer desvios e assim conhecer todo o património cultural e natural que se desenvolve em redor.

 

O projeto contempla também ligações à vizinha Galiza, tanto na zona ribeirinha, no vale do rio Minho e vale do rio Trancoso, mas também na zona de montanha, concretamente em Castro Laboreiro, na fronteira da ameijoeira e no planalto de Castro Laboreiro.

 

O objetivo é permitir uma oferta transnacional e permitir intercâmbios nos fluxos de turistas.

 

“Vivemos num concelho de fronteira e o objetivo passa também por ligar a nossa oferta à oferta do outro lado da fronteira, à nossa vizinha Galiza que nos últimos anos também tem apostado neste tipo de oferta”, considera Manoel Batista.

 

Saiba-se que o investimento total na Rede de Trilhos superou um milhão de euros e, além do investimento do município, contou com cofinanciamentos do FEDER, FEADER e VALORIZAR – Turismo de Portugal.

 

 

Melgaço tem agora 16 trilhos

  • Lamas de Mouro – Cevide (ponto de partida: Lamas de Mouro | 15,825km)
  • Lamas de Mouro – Castro Laboreiro (ponto de partida: Lamas de Mouro | 6,494km)
  • Castrejo (ponto de partida: Castro Laboreiro | 16,712km)
  • Interpretativo de Castro Laboreiro (ponto de partida: Castro Laboreiro | 5,243km)
  • Megalitismo (ponto de partida: Castro Laboreiro | 25,671km)
  • Rio Laboreiro (ponto de partida: Castro Laboreiro | 8,076km)
  • Inverneiras (ponto de partida: Castro Laboreiro | 6,020km)
  • Lamas de Mouro – Dorna (ponto de partida: Lamas de Mouro | 11,868km)
  • Interpretativo de Lamas de Mouro (ponto de partida: Lamas de Mouro | 4,403km)
  • Lamas de Mouro – Parada do Monte (ponto de partida: Lamas de Mouro | 9,349)
  • Rio Mouro (ponto de partida: Cousso | 18,368km)
  • Brandeiro (ponto de partida: Aveleira | 16,182km)
  • Vale Glaciar do Vez (ponto de partida: Aveleira | 4,297km)
  • Aveleira (ponto de partida: Aveleira | 6,129km)
  • Curro da Velha (ponto de partida: Castro Laboreiro | 7,279km)
  • Transumância (ponto de partida: Aveleira | 10,300km)

 

 

[Fotografia: Município Melgaço]

Tópicos:

#Turismo

Últimas