PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Melgaço

Melgaço: Bombeiros queixam-se de redução salarial “ilegal”

4 Novembro, 2021 - 13:44

1723

0

Eventuais irregularidades nos pagamentos estão a deixar equipa desanimada.

Um grupo de Bombeiros da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Melgaço (AHBVM) diz-se revoltado com o que considera serem cortes salariais “ilegais” de que foram alvo nos últimos meses.

 

A notícia, que está a ser avançada pelo jornal Voz de Melgaço, dá conta de que foi retirada àqueles profissionais uma parcela no ordenado. Montante este calculado pela Direção da corporação que o suspendeu devido a “eventuais faltas na limpeza das viaturas de serviço”.

 

Face a esta suspensão, os profissionais afectados pelos cortes recorreram para a Autoridade para as condições do Trabalho (ACT), que confirmou existir uma “ilegalidade” nesta redução salarial.

 

Por indicação da ACT, em Agosto do corrente ano, a Direcção da corporação repôs os valores retidos aos bombeiros, referentes aos meses de Abril e Maio.

 

Mas as irregularidades nos pagamentos não se esgotam aqui. Revela ainda o Voz de Melgaço que a verba destinada às equipas que integraram o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), transferida pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) para os bombeiros numa única tranche mensal, estaria a ser paga pela AHBVM “a partir do dia 15 de cada mês” e em Setembro “foi pago em duas partes”.

 

A desmotivação cresce entre os bombeiros e, àquele jornal, fonte da corporação disse mesmo que “há já alguns que falam em procurar novos horizontes, inclusive um deve sair já este mês [novembro]. A única vontade que existe é de abandonar tudo”.

 

Contactado pelo Voz de Melgaço, o presidente da AHBVM, Luís de Matos, garantiu que todos os pagamentos relativos às Equipas de Combate a Incêndios (ECIN) já estão “regularizados”. O único assunto pendente, acrescentou, prende-se com o “inquérito às faltas”.

 

 

[Fotografia: Arquivo / BV Melgaço]

Últimas