PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Galiza

Eixo Atlântico quer inclusão, inovação e sustentabilidade para superar a crise

9 Fevereiro, 2013 - 10:38

45

0

O Eixo Atlântico aprovou um plano de atividades que defende a inclusão, inovação e sustentabilidade daquele território de sete milhões de habitantes, entre o norte de Portugal e Galiza, como solução para superar a crise.

O Eixo Atlântico aprovou um plano de atividades que defende a inclusão, inovação e sustentabilidade daquele território de sete milhões de habitantes, entre o norte de Portugal e Galiza, como solução para superar a crise.

O documento prevê um investimento, para este ano, de 3,6 milhões de euros, envolvendo projetos comuns às 34 cidades que integram o Eixo e que passam pelo “desenvolvimento inclusivo, inovador e sustentável” do território, anunciou Vázquez Mao.

O secretário-geral do Eixo garantiu que o plano aprovado visa tornar estas cidades “mais competitivas” e assim permitir “sair da crise”, nomeadamente com ações previstas no programa comunitário “Eurorregião 2020”.

Durante a assembleia-geral que decorreu na Corunha, Galiza, o autarca local apelou à necessidade de “colocar em marcha projetos comuns”. Carlos Negreira sublinhou que o Eixo representa uma “nova forma de fazer politica”, baseada na colaboração institucional.”O Eixo Atlântico é uma das janelas mais importantes que temos para enfrentar o futuro juntos”, reconheceu o ‘alcaide’ galego.

Os autarcas insistiram ainda que o Eixo Atlântico representa uma “oportunidade” para tentar garantir para aquele território parte dos 21.000 milhões de euros de fundos destinados pela União Europeia para as áreas da inovação, sustentabilidade eficiência energética e cooperação transfronteiriça.

O plano de atividades prevê, entre outras ações, quatro candidaturas a fundos comunitários em áreas como a estratégia do mar do Eixo Atlântico, desenvolvimento sustentável, eficiência energética e recolha de resíduos sólidos urbanos.Do orçamento total aprovado, 88% das verbas serão asseguradas por fundos externos ao Eixo e respetivas autarquias que o integram, nomeadamente comunitários. 

Últimas