PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Galiza

Criminalidade: GNR e Guardia Civil aumentam fiscalização conjunta e surpresa nos dois países

29 Junho, 2012 - 09:22

51

0

A GNR e a Guardia Civil espanhola vão aumentar as operações de fiscalização, conjuntas no Norte de Portugal e na Galiza, apostando no “fator surpresa”, com especial atenção ao metal furtado e transportado entre os dois países.

A GNR e a Guardia Civil espanhola vão aumentar as operações de fiscalização, conjuntas no Norte de Portugal e na Galiza, apostando no “fator surpresa”, com especial atenção ao metal furtado e transportado entre os dois países.

“É metal, como cobre, que desaparece em Espanha e aparece em Portugal, e vice-versa. É uma das principais áreas que nos preocupa e nesse sentido a coordenação entre as forças dos dois países é indispensável”, explicou o comandante da GNR de Viana do Castelo, Leite Machado.

O anúncio do reforço e da aposta no fator surpresa nestas operações conjuntas foi feito quinta-feira, durante o encontro semestral de coordenação de Controlos Moveis das duas forças, instituído em 1994, e que reuniu em Viana do Castelo, além dos Comandos Territoriais da GNR de Braga e Vila Real, também os comandantes dos Destacamentos de Controlo Costeiro de Matosinhos e de Ação Fiscal do Porto.

Da parte galega estiveram representados os comandantes da Guardia Civil espanhola das províncias de Pontevedra e de Ourense.

No primeiro semestre de 2012 estas operações conjuntas das duas forças levaram à identificação de 33 infrações, sobretudo sobre legislação rodoviária, mas também relativamente ao transporte de mercadoria furtada.

“Em coordenação, com ações em simultâneo, trocando informações necessárias no momento, apurámos muito mais infrações e evitámos muitas outras. Mas agora vamos passar de ações mais planeadas para outras em que conta o fator surpresa”, admitiu Leite Machado.

Tratam-se, explicou, de ações a realizar entre GNR e Guardia Civil, dos dois lados da fronteira, mas “de uma forma muito mais inopinada” para “surtir o efeito surpresa”.

“Porque muitos dos infratores, sobretudo na prática criminal, conseguem evitar a passagem no local, com estas ações mais planeadas. Sendo mais inopinadas, vamos buscar aqueles infratores que provavelmente mais nos interessam”, apontou ainda o comandante da GNR de Viana do Castelo.

O furto e transporte entre os dois países de metais como o cobre é um dos assuntos que “mais preocupa” as duas forças de segurança.

“É algo preocupante, está a afetar as empresas e todo o tipo de metal, sendo uma criminalidade muito complexa que envolve cidadãos nacionais e estrangeiros”, sublinhou o oficial.

Por norma, GNR e Guardia Civil realizam, todos os anos, cerca de 20 ações conjuntas de patrulhamento e fiscalização, número que vai aumentar em 2012 tendo em conta o incremento de operações surpresa entre os dois países.

Últimas