PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Valença

Comissão de utentes de Valença diz que número médio de utentes apontado pelo Governo é "irreal"

1 Abril, 2010 - 18:17

230

0

O porta-voz da Comissão de utentes de Valença afirma que a média do número de doentes que acorria ao serviço de urgências do centro de saúde local não corresponde aos valores apontados pelo Ministério da Saúde. Para Carlos Natal, a média ronda os 8,7 de casos e não 1,7, valor apresentado pelo Governo.

O porta-voz da Comissão de Utentes de Valença afirma que a média do número de doentes que acorria ao serviço de urgências do centro de saúde local não corresponde aos valores apontados pelo Ministério da Saúde. Para Carlos Natal, a média ronda os 8,7 de casos e não 1,7, valor apresentado pelo Governo. Recorde-se que o baixo número de casos de emergência foi um dos argumentos apresentados pela ministra da Saúde para encerramento do Serviço de Atendimento Permanente (SAP) em Valença. Argumento que, para o porta-voz da comissão de utentes valenciana, não corresponde aos valores reais.
"Hoje no «Faro de Vigo», pode ler-se que as autoridades do centro de saúde em Tui dizem que recebem três doentes portugueses, em média, por dia, portanto, são doentes que deviam ser assistidos em Portugal e estão a ir a Espanha", disse Carlos Natal e acrescentou: "A Gripe A, em Novembro, em dois ou três dias, foram atendidas no centro de saúde de Valença 500 crianças, e que não estão nas estatísticas, o que corresponde a 1,3 por dia, a nível anual. O próprio secretário de Estado Adjunto da Saúde referiu que o Inem e o SIV já transportaram para Monção cerca de mil doentes. Se fizermos as contas, isso dá 2,7 por dia. Ao somarmos tudo, conseguimos perceber que, em Valença,os casos urgentes, na prática, não são 1,7, como a Srª Ministra afirma, mas sim 8,7".
O porta-voz da Comissão de utentes de Valença considera, por isso, que o número de casos de emergência é superior aos valores apontados pelo Ministério da Saúde: "8,7 é largamente, mas muito superior, à urgência que é recebida em Monção. A média, em Monção, é de 1,9 e já com os doentes de Valença. Daí se denota que isso é uma pura de uma falsidade tremenda o que as autoridades de saúde andam a dizer à população, nomeadamente à valenciana", rematou ainda o dirigente.
Entretanto, são muitos os valencianos que se estão a dirigir ao centro de saúde de Tui, na fronteira galega. O alcaide local já veio a público dizer que todos cuidados de saúde serão garantidos aos portugueses. "Que venham a Tui, que em Tui serão bem recebidos. Aliás, estou convencido que os profissionais que estão no centro médico de Tui os vão receber perfeitamente", declarou o alcaide de Tui.
Uma atitude que Carlos Natal já elogiou, pedindo aos valencianos para que coloquem bandeiras espanholas nas janelas: "O alcaide e as autoridades espanholas estão mais preocupadas com a saúde dos valencianos e com o facto de as urgências fecharem, do que as autoridades portuguesas. Está a circular via sms (mensagem por telemóvel)uma mensagem para que os valencianos, em forma de agradecimento, coloquem uma bandeira espanhola nas janelas", explicou Carlos Natal.
O pedido do representante da comissão de utentes de Valença surge numa altura em que são já muitos os valencianos que recorrem aos serviços de urgência de Tui, na Galiza, quatro dias depois do encerramento do serviço de atendimento permanente, em Valença.

Últimas