PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Arcos de Valdevez

Colóquio: Várias entidades e população fazem radiografia do lobo no Alto Minho

20 Maio, 2013 - 12:21

88

0

Considerando que o Alto Minho representa uma das principais áreas de distribuição do lobo ibérico em Portugal, e tendo em atenção as notícias recentes sobre os prejuízos causados pelo lobo na pecuária nalgumas freguesias mais montanhosas de Arcos de Valdevez e de Paredes de Coura, esta associação pretende congregar representantes de várias entidades públicas e privadas que atuam na área de distribuição do lobo, de forma debater vários aspetos relacionados com a conservação do lobo no Alto Minho.

Qual a verdadeira situação da população lupina no Alto Minho. Este é o mote para um colóquio que a Associação de Conservação do Habitat do Lobo Ibérico vai promover, a 29 de Maio, no concelho de Arcos de Valdevez.

Considerando que o Alto Minho representa uma das principais áreas de distribuição do lobo ibérico em Portugal, e tendo em atenção as notícias recentes sobre os prejuízos causados pelo lobo na pecuária nalgumas freguesias mais montanhosas de Arcos de Valdevez e de Paredes de Coura, esta associação pretende congregar representantes de várias entidades públicas e privadas que atuam na área de distribuição do lobo, de forma debater vários aspetos relacionados com a conservação do lobo no Alto Minho.

Perante casos de ataque a ovelhas, com os agricultores a pedirem algum tipo de regulamentação, Gonçalo Brotas, biólogo da associação, diz que é possível harmonizar a conservação do lobo com os interesses agrícolas da população.
Uma das soluções para evitar a descida do lobo, garante, pode ser o reforço de investimento na alimentação natural.

A Associação de Conservação do Habitat do Lobo Ibérico é uma associação sem fins lucrativos, que tem como objeto a preservação da paisagem natural e cultural de áreas sensíveis, com presença de lobo, em território nacional.

Este organismo, criado em 2006, tem vindo a implementar um conjunto de projetos de conservação do habitat do lobo, que se configuram como medidas compensatórias no âmbito dos processos de licenciamento de parques eólicos.

Gonçalo Brota diz que, apesar do trabalho desenvolvido no terreno, é preciso enveredar opor uma nova forma de comunicação, de modo a abranger mais pessoas, sempre como tema central a preservação do lobo.

O colóquio “O lobo no Alto Minho” está agendado para o próximo dia 29 de Maio, no Auditório do Centro Municipal de Informação e Turismo de Arcos de Valdevez, pelas 14h00.

Últimas