PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Caminha

Caminha divulga número de refugiados – “Pedidos de acolhimento chegam todos os dias”

23 Março, 2022 - 01:04

425

0

Município criou um fundo de apoio a refugiados ou pessoas com título de proteção temporária, no valor de 20 mil euros.

No total, Caminha tem neste momento 16 refugiados. Formam oito famílias e o concelho espera mais 10 dentro de dias, o que irá elevar o número para 24 refugiados. “Os pedidos de acolhimento chegam todos os dias e sob várias formas”, disse o presidente da Câmara, Miguel Alves. “Tratam-se sobretudo de mulheres e crianças”.

 

A situação de guerra na Ucrânia levou a Câmara Municipal de Caminha a adotar novas medidas, entre elas a criação de um fundo de apoio a refugiados ou pessoas com título de proteção temporária e a isentar de pagamento de refeições escolares e de frequência de equipamentos de atividades desportivas e culturais os refugiados com título de proteção temporária.

 

As duas propostas foram aprovadas por unanimidade em reunião do Executivo e somam-se a uma série de medidas já em curso.

 

Assim, a criação de um fundo de apoio a refugiados ou pessoas com título de proteção temporária, no valor de 20 mil euros, é uma medida preventiva, que visa garantir a pronta resposta a qualquer situação que venha a acorrer e que não esteja coberta pelas condições que estão a ser acomodadas.

 

O mesmo sucede com a decisão de isentar de pagamento de refeições escolares e de frequência de equipamentos de atividades desportivas e culturais os refugiados.

 

“A Câmara está a preparar-se para uma intervenção a longo prazo, apesar das pessoas que chegam manifestarem vontade de regressar em breve, mal existam condições. É um desejo que
eventualmente será contrariado pela realidade do conflito, que além da violência deixa um rasto de devastação, destruindo a hipótese de um regresso a curto prazo para a maioria dos refugiados, que simplesmente não terão para onde voltar”, explicou o presidente da Câmara, Miguel Alves.

 

 

Grande maioria chega de Kiev

Relativamente ao perfil das famílias que chegam, assim como as que pretendem ser acolhidas em Caminha, além de estar em linha com o perfil em geral (mulheres e crianças), essas pessoas têm maioritariamente como origem a capital da Ucrânia, Kiev.

 

“Há inclusive uma família com uma pessoa de mobilidade condicionada e uma outra que perdeu um elemento na guerra, uma jovem de apenas 17 anos”, refere o Município.

 

O Presidente da Câmara informou também que já foram disponibilizados, até quarta-feira última, 24 alojamentos, num total de mais de seis dezenas de camas e 48 voluntários. Em relação à bolsa de emprego, registaram-se 41 ofertas no concelho de Caminha e, com o IEFP, estão em preparação cursos de Português. A Câmara disponibiliza ainda apoio psicológico.

 

 

[Fotografia: Município Caminha]

Últimas