PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

1

0

Caminha
Vila Nova de Cerveira

Caminha/Cerveira: Há um abaixo-assinado contra o lítio a circular – Veja onde pode assinar

15 Novembro, 2021 - 14:29

741

0

Lítio.

Um abaixo-assinado contra a prospeção, pesquisa e exploração de lítio na Serra D’Arga está a correr os concelhos de Caminha e de Vila Nova de Cerveira. Uma iniciativa promovida pela COREMA – Associação de Defesa do Património e que “tem como objetivo demonstrar a vontade do povo minhoto contra uma possível prospeção, pesquisa e exploração de lítio” naquele local.

 

Os abaixo-assinados foram distribuídos por vários pontos de comércio em diferentes freguesias:

 

 

Caminha:

  • Casa Crespo
  • Café Central
  • Pastelaria Riviera
  • Tabacaria Gomes
  • Sandes e Baguetes
  • Uniloja (por baixo do ginásio)
  • Talho Barroso
  • Costureira no mercado

 

 

Coura de Seixas:

  • Soumad

 

 

Vilar de Mouros:

  • Café Central

 

 

Lanhelas:

  • Café Alvarinho
  • Sabores Nabuca
  • Uniloja centro Aldeia
  • Talho Lanhelas
  • Peixaria Matilde
  • Bar do Rio
  • Café – Mercearia Alvarinho
  • Quiosque Nuvem

 

 

Gondarém:

  • VetMinho (veterinário)

 

 

Vila Nova de Cerveira:

  • Poço Bar
  • Os Cunhas
  • Restaurante Piazza
  • Reprografia A4

 

 

Vila Praia de Âncora:

  • Papelaria “Zé das Manteigas”
  • Farmácia Moderna
  • Café Lírios
  • Spaco’s Bar
  • Doce Vila
  • Sapataria Âncora
  • Pérola de Âncora
  • Tabacaria Central
  • Frutaria Rosa Vaz
  • Café Central
  • D’origem
  • Drogaria Carvalho

 

 

A COREMA informa ainda que “estes locais mencionados servem apenas como ponto de referência para quem eventualmente quiser participar, assinando o abaixo-assinado, e não sabe onde se deslocar, embora não sejam exclusivos”.

 

“Sabemos por exemplo, que em Argela, Viana do Castelo, Covas, Vile, Vilar de Murteda, Ponte de Lima, Ponte da Barca e até em Lisboa já tem comércios com pontos de recolha de assinaturas. Isto só foi possível graças à participação activa de várias pessoas, que se disponibilizaram para colaborar na causa”, refere aquela associação.

 

Sediada em Lanhelas, a COREMA nasceu em 1988, afirmando-se a sua constituição dramaticamente oportuna face à urgência de empreender uma acção que estancasse o abastardamento, em marcha, dos valores naturais e culturais da Ribeira Minho.

 

Foi uma das primeiras associações a inscrever-se no Instituto Nacional do Ambiente; é membro fundador da Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente e integra os seus Corpos Directivos desde 1995, pertencendo ao Conselho Executivo; integra a Plataforma Ecologista Luso-Galaica, da qual foi membro fundador, em 1994; em representação das Organizações Não Governamentais de Ambiente, é membro efectivo do Conselho de Bacia do Minho, desde 1994; pertence ao Conselho Cinegético Municipal de Caminha, desde 1990; é coordenador regional (de Caminha à Póvoa de Varzim) do projecto COASTWATCH EUROPE. Fez parte da Assembleia do Agrupamento de Escolas “Coura e Minho” e integrou a Comissão de Acompanhamento do Aterro Sanitário de S. Pedro da Torre (Valença).

 

Esta associação foi também eleita representante das Organizações Não Governamentais de Ambiente (ONGA), através de votação nacional das ONGA inscritas no Instituto do Ambiente, nos seguintes organismos: Conselho Nacional do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (para o triénio entre 2004 e 2007) e Comissão Mista de Coordenação para a Elaboração do Plano de Ordenamento da Paisagem Protegida do Corno de Bico.

[Fotografia: COREMA/DR]

Últimas