PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

+

0

0

Melgaço

Batista: “Se resistirmos às críticas dos ‘treinadores de bancada’, conseguimos atingir objetivos”

11 Abril, 2022 - 21:00

715

0

Zona Empresarial de Alvaredo.

“Se formos persistentes, resistirmos às críticas dos “treinadores de bancada”, conseguimos atingir os objectivos”. As palavras são do Presidente da Câmara de Melgaço, Manoel Batista. Foram proferidas no dia em que o Município deu conta de que existem “muitas indústrias interessadas em instalar-se” neste concelho. Sobretudo na Zona Empresarial de Alvaredo.

 

“O que hoje é uma realidade, resulta de muito trabalho durante anos. Trabalhar para o território é assim! Os resultados não são imediatos, mas acontecem e o legado ficará”, sublinha ainda Manoel Batista.

 

 

 

 

 

O autarca mostra-se satisfeito com o ritmo a que decorrem as obras da Fase 1 da Zona Empresarial de Alvaredo (ZEA).

 

 

Obras da Fase 1 da Zona Empresarial de Alvaredo seguem a todo o vapor

[Foto: Município Melgaço]

 

 

 

O processo deste projeto remonta a 2013, aquando da revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) que definiu esta zona como área industrial, tendo-se em 2018 avançado com o projeto global da zona industrial e de execução da 1ª fase de obra em 2021.

 

A ZEA representa um investimento de 2.711.820,22 euros, cofinanciado pelo FEDER no montante de 1.500.000,00 euros, no âmbito do Programa Operacional Regional do Norte, Norte2020.

 

O projeto pretende reforçar a capacitação empresarial das Pequenas e Médias Empresas (PME) da Região do Norte para o desenvolvimento de produtos e serviços e abrange uma operação de loteamento com obras de urbanização e acesso à Zona Empresarial, com uma alocação de 33 461,90 m² para área destinada a 11 lotes, distribuindo-se as áreas de cedência por um lote destinado a equipamento coletivo com 1 685 m², espaços verdes de utilização coletiva com 9 356,70 m² e espaços verdes de enquadramento com 4 810 m².

 

A operação pretende levar a efeito três intervenções distintas:

  • operação de loteamento com obras de urbanização destinadas à edificação urbana;
  • novo acesso a executar em solo rural que estabelecerá a ligação entre a operação de loteamento e a via existente a nascente;
  • beneficiação de via existente a nascente – fundamentada exclusivamente na necessidade de permitir o acesso de veículos de grandes dimensões à Zona Empresarial a criar – estabelecendo a ligação à EN 202.

 

 

[Fotografia: Arquivo/Rádio Vale do Minho]

Últimas