PUBLICIDADE
AVANÇAR

Menu

0

0

Destaques
Melgaço

Autárquicas/Melgaço: Batista anuncia “revolução industrial” para os próximos quatro anos

25 Agosto, 2021 - 10:14

130

0

PUB Melgaço vai ser palco de uma “revolução industrial” nos próximos quatro anos. A garantia foi deixada esta terça-feira por Manoel Batista, que se recandidata pelo PS a um terceiro […]

PUB

Melgaço vai ser palco de uma “revolução industrial” nos próximos quatro anos. A garantia foi deixada esta terça-feira por Manoel Batista, que se recandidata pelo PS a um terceiro e último mandato à frente da Câmara Municipal de Melgaço, durante a apresentação a mais de duas centenas de militantes e simpatizantes do partido.

A cerimónia realizou-se no auditório ao ar livre, em frente às piscinas municipais. As normas da DGS foram cumpridas a rigor.

Começou com lágrimas no canto do olho. Maria José Codesso, vice-presidente da Câmara, já não fará parte do próximo Executivo Municipal. Depois de 17 anos ao serviço do Município, a autarca tomou a decisão de afastar-se da vida política ativa.

 

 

Maria José Codesso: “A vida é feita de ciclos”

 

 

Recebida num mar de aplausos, foi precisamente Maria José Codesso a primeira a subir ao palco. Discreta e humilde como sempre foi, a autarca agradeceu a calorosa ovação do público que a rodeava e que já antevia a mensagem que aí vinha.

“Todos os que estão aqui conhecem-me e sabem o quanto me é difícil subir a um palco. Na minha vida pessoal e profissional, sempre preferi o trabalho às luzes de um palco apesar de na política esse ser também o nosso papel”, iniciou. “Assumir protagonismo foi o lado da política que sempre me desafiou, porque gosto é de estar nos bastidores a trabalhar”.

“Mas hoje é dia de subir a este palco, sair da minha zona de conforto e dizer-vos o quanto gostei de trabalhar por este nosso Melgaço”. Enorme aplauso.

Visivelmente emocionada, a vice-presidente anunciou então oficialmente o que já se sabia. “A vida é feita de ciclos e sabemos que não nos devemos perpetuar nos cargos. Por isso, tomei a decisão de não me recandidatar. Uma decisão que foi também ponderada com a família socialista e com o líder que muito admiro, Manoel Batista”, disse.

“Nunca avançaria com uma decisão que não fosse acolhida por quem confiou em mim a vice-presidência da autarquia. O meu amigo Batista compreendeu as razões da minha decisão. Tal como em todos os momentos, também neste me apoiou e aceitou a minha vontade”.

E agora? Maria José Codesso não deixou margem para dúvidas. “É chegado o tempo de dedicar-me à minha família. Aos meus netos. Mas também ajudar o meu marido no nosso projeto. Eles merecem que a minha dedicação seja agora toda para eles e Melgaço aceitará esta minha decisão”.

“Os melgacenses sabem que, se me retiro da vida política, é porque sei que temos na nossa lista gente jovem que poderá continuar a apoiar Manoel Batista e a trabalhar por Melgaço. Porque o trabalho continua!”, exclamou. “O nosso projeto político para este território ainda tem muito trabalho pela frente e temos uma equipa que continuará esse desígnio com a mesma garra e afinco que pautaram a minha missão”.

De olhos postos em Manoel Batista, a autarca socialista deixou certezas. “Melgaço é hoje um concelho muito diferente, para melhor. Negar isso é negar a capacidade e a resiliência dos melgacenses”, concluiu ao som de um longo aplauso com o público todo em pé.

 

 

Fátima Pereira anuncia Assembleias Municipais descentralizadas

 

 

Seguiu-se Fátima Pereira, cabeça-de-lista do partido à Assembleia Municipal de Melgaço. Num discurso pragmático, a professora de Matemática mostrou parcelas, fez contas de somar, e depressa mostrou os resultados do seu trabalho.

“Cumprimos. Nestes quatro anos, cumprimos com as competências exigidas por lei e constantes no nosso regimento”, disse. Agradeceu a todos os deputados municipais “pelo contributo positivo e disponibilidade no desempenho das funções para as quais foram eleitos”.

“Fui imparcial na condução das sessões. Consegui criar um ambiente de respeito entre todos, com a elevação que este órgão merece. Promovi a discussão de assuntos de interesse para o concelho, dando oportunidade e tempo a todos os deputados para intervirem sempre que me foi solicitado”, disse a candidata socialista.

“Acolhi sugestões das duas bancadas que pudessem melhorar o funcionamento das sessões. Mantive uma relação de cordialidade e diálogo com os dois líderes de bancada: do PS e da coligação P’rá Frente Melgaço (PSD/CDS-PP). Assegurei o cumprimento das leis e a regularidade das deliberações, bem como o cumprimento do regimento da Assembleia”, prosseguiu Fátima Pereira.

Aqui chegada, a candidata socialista confessou ao auditório que “ser presidente da Assembleia Municipal não foi fácil”. “Possivelmente cometi algum erro, mas só não erra quem não faz. O importante é corrigir e aprender”, sublinhou.

Determinada, Fátima Pereira manifestou vontade em “continuar com esta missão”. A demonstrar a solidez desta intenção, a candidata deixou um compromisso à multidão.

“Como vocês sabem, as Assembleias Municipais têm cada vez um papel mais preponderante na tomada de decisão. Assuntos muito atuais, como a descentralização e a regionalização carecem do debate local”, explicou. “Esse debate tem um debate privilegiado para ocorrer, que é na Assembleia Municipal. Se a situação de pandemia o permitir, tudo farei para termos sessões descentralizadas nas freguesias onde se reúnam as condições adequadas”, anunciou.

“É com muita vontade que procurarei contribuir para o desempenho das funções confiadas ao poder local de uma forma progressivamente mais participada, transparente e equidistante”, frisou ainda Fátima Pereira.

Já sobre o candidato socialista à Câmara Municipal, Fátima Pereira deixou uma outra mensagem. “Espero que os melgacenses saibam reconhecer – e eu sei que sim, porque não somos um povo ingrato – o esforço que o Executivo camarário liderado pelo presidente Manoel Batista fez nestes últimos dois anos ao ter de governar numa situação de pandemia”, disse.

“Agradecer por cuidar. Sim! A palavra é mesmo essa: cuidar. Dos mais frágeis, nomeadamente daqueles que viram os seus recursos esgotar-se. Dos mais débeis, apoiando as IPSS. Manoel Batista e a sua equipa estiveram à altura e fizeram mais do que lhes era exigido!”, exclamou. “Espero sinceramente que os melgacenses não se esqueçam de todo o trabalho que foi feito quer pela Câmara Municipal, quer pelos presidentes de Junta de Freguesia”. Enorme onda de aplausos.

Mas os quatro anos não foram apenas pandemia. Fátima Pereira lembrou “as conquistas e os projetos cruciais” para Melgaço. “Muitos continuam a querer comparar Melgaço com outros concelhos vizinhos, mas não devemos fazê-lo. Não somos nem melhores nem piores que os outros. Somos diferentes. E somos únicos! Isso é o mais importante”, concluiu a candidata socialista ao som de mais uma enorme ovação.

 

 

Quatro anos onde nem a COVID-19 parou Melgaço

 

 

Chegou então o momento do homem da tarde. Pela voz das colunas soou o nome de Manoel Batista. O candidato levantou-se… e o público também. Longo aplauso para o homem que pretende agora um terceiro e último mandato à frente da Câmara Municipal. Bandeiras desfraldadas ao vento. “PS! PS! PS!”, exclamava Batista, de punho esquerdo fechado, em coro com a multidão.

Depois dos respetivos agradecimentos. Batista não perdeu tempo e começou por responder à questão mais evidente. “Recandidato-me a este cargo porque amo. Amo profundamente Melgaço! Porque amo e amo profundamente os melgacenses! Porque é meu dever concluir o trabalho iniciado. Um trabalho que tenho a honra de partilhar com uma equipa de vereadores que se dedicaram de corpo e alma a Melgaço”, exclamou.

Seguiu para a retrospetiva dos últimos quatro anos. Começou, previsivelmente, pelos dois anos mais recentes marcados pela pandemia da COVID-19. “Nenhum anterior executivo teve de lidar com os efeitos nefastos com uma tragédia que atacou o que de mais importante temos na nossa vida: a nossa saúde e a vida dos nossos”, recordou.

Batista não poupou elogios ao “empenho e dedicação” dos melgacenses durante todos estes tempos pandémicos. “As ações são de quem as pratica e sei que os melgacenses não esquecerão o comportamento adotado por mim nesta batalha, pela minha equipa de vereadores e pelos colaboradores da Câmara Municipal”, referiu. “Foram dias e noites que não esqueceremos. Fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para apoiar e minorar na comunidade os efeitos nefastos que este vírus provocou”.

 

 

Águas, educação e obras na zona urbana

 

 

“Melgaço não parou” durante a COVID-19. Desde logo, Batista enalteceu um “rigor nas contas e uma gestão rigorosa da nossa autarquia”. E isso, acentuou, resultou em “obra feita”.

“Temos hoje um Município mais moderno. Mais ecológico. Mais tecnológico e sustentável. É visível uma clara aposta em todas as áreas susceptíveis de garantirem o desenvolvimento e o crescimento do território”, considera o candidato socialista.

Ato contínuo, Batista puxou da lista de objetivos e vitórias alcançadas. Iniciou pela recuperação da Escola C+S de Melgaço e pelas intervenções em várias artérias na zona urbana.

Lembrou um “investimento arrojado e inovador” nas rede de águas e saneamento, bem como a construção da ETAR de Penso.

“Ainda em 2018, tivemos a coragem e a ousadia de decidir e decidir bem. Quando parecia praticamente impossível de fugir, dissemos não à constituição de uma empresa de gestão de águas e resíduos. E hoje, orgulhosamente, temos gestão de qualidade com eficácia das nossas redes de água e de saneamento com preços justos. O que não acontece noutros Municípios”. O público rebentou num estrondoso aplauso.

Batista virou para o “enorme investimento feito na rede viária municipal”. Falou também da construção da rede municipal de trilhos pedestres e cicláveis.

 

 

Zona Empresarial de Alvaredo… a jóia da coroa

 

 

Nas telecomunicações, o candidato apontou a “capacidade de resgatar aquele que é agora o edifício da Altice, que estava esquecido, para lá colocarmos uma incubadora tecnológica e um espaço de coworking”. Só neste mandato, surgiram cinco novas torres de comunicação móvel: em Castro Laboreiro, em Lamas de Mouro, na Vila, na Branda da Aveleira e em Paderne.

No campo da fibra ótica, em pouco mais de um ano, “não haverá um lugar em Melgaço onde a rede de fibra ótica não esteja disponível em qualidade para todos os nossos cidadãos”.

Visivelmente orgulhoso, Batista destacou a aposta do Município feita na área do Turismo e dos produtos. E também na programação cultural “e com isso afirmar a marca Melgaço na área do cinema”. “Aquilo que para alguns foi uma dúvida durante muitos anos, deixou de o ser até porque tivemos no encerramento do nosso Festival de Cinema a presença do Presidente da República!”, exclamou. Novo aplauso para o candidato.

Destacou a “aposta vencedora” no calendário anual de provas desportivas. E ainda o apoio a uma nova dinâmica no tecido empresarial com as lojas Pop-Up. “Alguns duvidavam, mas a verdade é que o projeto permitiu já a abertura de 15 lojas em dois anos”, disse.

Lembrou o novo Hotel do Peso, de quatro estrelas, que está a renascer próximo das Termas. Na área do vinho, uma contínua capacidade “de atrair investimentos exteriores”.

Para o final desta passagem em revista, Manoel Batista deixou a indústria e uma das jóias do mandato: a nova Zona Empresarial de Alvaredo. “Garanto-vos que no próximo mandato faremos uma verdadeira revolução industrial em Melgaço!”. Longa ovação para o candidato socialista.

“Nestes quatro anos, fomos Município do Ano em 2019 e Destino Gastronómico do Ano em 2021. Cumprimos! E por isso avançamos, Melgaço!”. Mais um trovão de aplausos.

 

 

Um novo auditório e requalificação do Solar do Alvarinho

 

 

Manoel Batista virou a página e colocou então olhos nos próximos quatro anos. Objetivo? “Alargar horizontes e dizer em 2025 que Melgaço tem tudo para continuar a crescer”, disse. Estancar a perda da população está entre as principais prioridades do autarca.

A “renovação integral” da Casa da Cultura é um dos compromissos de Manoel Batista. Será construído um novo auditório e a biblioteca será também alargada. O edifício da antiga escola primária da Vila dará lugar ao Arquivo Municipal e lá ficará também o Centro Documental Jean Loup Passek. Salva de palmas.

O novo edifício das Piscinas Municipais e a requalificação do Solar do Alvarinho são também metas para o novo mandato. Será também concluída a Ecovia e ligada às restantes dos concelhos limítrofes.

“Queremos também continuar a dar um apoio profundo a todos os projetos das Juntas de Freguesia. E não são poucos”, disse Batista que garantiu que o apoio ao setor social vai continuar. Vai também ser mantido “um apoio sério à cultura, consolidando a nossa programação cultural”.

Conforme tinha já referido, será também mantida “uma aposta forte” nos setores industrial e tecnológico. A acompanhar, outra “aposta grande” na habitação, sobretudo no alojamento para estudantes “para sermos capazes de captar gente para o nosso território e fixá-la”.

Linhas gerais de um programa vasto em compromissos mas que Manoel Batista justificou e concluiu de forma simples. “É a aposta numa dedicação cada vez maior a cada uma e a cada um dos melgacenses. Porque vos amo! E porque me darei cada vez mais a Melgaço e às suas gentes!”, finalizou o candidato socialista brindado com longa ovação em pé.

As próximas eleições autárquicas estão marcadas para 26 de setembro.

 

Veja a nossa galeria de fotos:

 

[Fotografias: Rádio Vale do Minho]

 

PUB

 

 

Últimas