PUBLICIDADE
3
AVANÇAR

Menu

+

1

1

Alto Minho

Alto Minho: Chuva não assusta percevejo asiático – Saiba o que fazer para combater a praga

19 Outubro, 2023 - 17:00

1163

0

Espécie invasora é inofensiva para humanos mas ameaça séria para a agricultura.

Sucedem-se nas redes sociais os relatos de avistamentos de percevejos asiáticos (Halyomorpha halys) pelo Alto Minho e por todo o País.

 

Vale referir que esta espécie não deve ser confundida com os percevejos-de-cama que têm causado o pânico em França.

 

“Tratam-se de duas pragas completamente diferentes, famílias diferentes e hábitos diferentes”, explicou ao jornal News in Oeiras o entomologista Albano Soares do Tagis – Centro de Conservação das Borboletas de Portugal. Em comum têm o facto de serem ambos difíceis de erradicar, devido à resistência aos exterminadores químicos.

 

 

 

[Fotografia: Raquel Valença/Redes sociais]

 

 

 

Danos na agricultura podem alcançar 90%

Conforme é explicado num grupo de Facebook criado por cientistas, o percevejo asiático “é um inseto picador-sugador (Hemiptera) que se alimenta exclusivamente de plantas (não confundir com os percevejos-de-cama) pertencentes a mais de 300 espécies, afetando as várias estruturas vegetais – frutos, folhas, rebentos”.

 

Pode causar danos sérios na agricultura.

 

Asseguram os especialistas “inviabiliza comercialmente as culturas onde se alimenta, causando cicatrizes, depressões, descolorações, deformações e/ou queda na fruta e perdas de produção até 90%, sem que exista ainda uma solução de controlo eficaz”.

 

Durante o Inverno, esta espécie procura casas e barracões para hibernar, “concentrando-se em grande número e libertando mau odor quando manuseado”.

 

 

 

[Fotografia: André Domingues/Redes sociais]

 

 

 

O que fazer?

O Ministério da Agricultura e Alimentação admitiu há dias que estas “são pragas quase impossíveis de controlar, por não existirem inseticidas eficazes”.

 

A única coisa a fazer, defendem os especialistas, “é aguardar que o clima mude — esta espécie exótica tem pouca resistência ao frio e acaba por hibernar ou morrer quando as temperaturas começam a descer. Pode tentar matá-los um a um, mas avisamos já: não é boa ideia, devido ao odor que libertam quando esmagados”.

 

 

 

Outras recomendações

Esta semana, a revista Visão deixa algumas recomendações sobre como combater percevejos, sejam eles de cama ou não:

 

 

1.         Mantenha a casa limpa e organizada

Uma casa limpa é a primeira linha de defesa contra os percevejos. Reduza as áreas onde eles se podem esconder, mantendo os espaços limpos e organizados.

 

2.     Lave as roupas de casa regularmente

Não subestime o poder de lençóis limpos. Lave regularmente roupas de cama, almofadas e colchas em água quente (60 graus ou superior) para eliminar percevejos e possíveis ovos.

 

3.     Aspire a casa com frequência

Aspire regularmente a casa, com especial atenção para todos os objetos estofados (sofás, tapetes, cortinas, colchões, cadeirões). Em caso de infestação, sempre que aspirar recomendamos que substitua o saco do aspirador, selando-o bem para descartá-lo de seguida.

 

4.     Limpe regularmente os estofados

Tendo em conta os pontos anteriores, é fácil perceber o porquê desta recomendação. Estofados são locais de eleição para estes insetos, pelo que a limpeza regular aliada a limpeza profissional duas vezes por ano ajudam a reduzir drasticamente a possibilidade dos percevejos se instalarem em sua casa.

 

5.     Atenção redobrada na compra de móveis usados

Sempre que optar por comprar móveis, colchões ou sofás em segunda mão, certifique-se previamente do estado real destes itens, uma vez que, se em mau estado, podem servir de veículo para este tipo de pragas.

 

6.     Repare fendas existentes

Quer sejam nas paredes, chão ou móveis, as fendas são locais perfeitos para os percevejos se esconderem, o que poderá dificultar a erradicação da praga em sua casa. Sele todas as fendas existentes.

7.     Atenção aos animais de estimação

Se tem animais de estimação, lembre-se que os percevejos podem ficar alojados nas suas camas, mantas ou até brinquedos. Estes objetos devem ser lavados com a mesma frequência que o resto da roupa de cama para garantir mais eficácia na luta contra esta praga.

Em cenário de infestação, a solução adequada é contratar serviços especializados, nomeadamente equipas de controlo de pragas, que estão preparadas para identificar e aplicar os métodos necessários para combater a infestação o mais rapidamente possível.

 

Já o Jornal de Notícias sugere “apanhá-los e colocá-los numa bacia com água e detergente, acabando por morrer afogados. Estão a ser estudados alguns mecanismos de controlo biológico na Europa mas ainda não existe nenhuma solução eficaz, como um produto químico, que faça com que se consiga controlá-los”.

 

 

 

[Fotografia: Marta Araújo/Redes sociais]

 

 

 

Lembre-se! É inofensivo para os humanos

O percevejo asiático é um inseto herbívoro picador-sugador capaz de se alimentar de mais de 300 espécies de plantas, entre as quais muitas culturas agrícolas. Come frutos, folhas e rebentos.

 

É uma espécie que se propaga com muita facilidade. Conseguem viajar longas distâncias e utilizam, muitas vezes, estruturas humanas para o efeito, como veículos, contentores de transporte, entre outros. Libertam mau odor e muito sangue quando são mortos.

 

Nativo do Oeste Asiático, introduziu-se acidentalmente nos continentes americano (EUA em 2001) e europeu (Suíça em 2004), expandindo a sua distribuição e beneficiando de sucessivas reintroduções acidentais. Foi intercetado em Espanha, em 2016, e em Portugal, em 2018, em máquinas agrícolas importadas de Itália, e tem-se expandido desde então.

 

Conforme noticiou a Rádio Vale do Minho, foi captado em Monção, Valença, Ponte de Lima e noutros concelhos do Alto Minho.

 

 

 

O ciclo de vida divide-se em quatro fases:

  • Reprodução [entre Julho e Agosto] – cada fêmea pode colocar até um total de 400 ovos e o desenvolvimento até ao estado adulto demora entre 40-50 dias (1-3 gerações por ano) em 5 fases de ninfa que se alimentam da planta hospedeira;
  • Busca de Abrigo [entre Setembro e Novembro] – cada adulto pode voar em média 5-10 km ou percorrer milhares de quilómetros associado a vectores de origem humana (carros, contentores navais, malas de viagem…) em busca de um local abrigado;
  • Diapausa [entre Dezembro e Março] – encontrado o abrigo, libertam sinais químicos que atraem indivíduos da mesma espécie para formar grupos de até milhares de indivíduos, assumindo um estado de baixa actividade que lhes permite sobreviver com pouco gasto de energia (diapausa);
  • Alimentação [entre Abril e Junho] -abandonam os locais de diapausa e deslocam-se para plantas hospedeiras onde podem recuperar as calorias perdidas durante o Inverno.

 

 

 

Procura abrigo para depois fazer estragos na Primavera

Nesta altura, o percevejo asiático está apenas a procura abrigo. Voltará a ficar mais ativo durante a Primavera e aí é que os problemas a sério podem começar. Onde? Nos campos agrícolas.

 

De momento, o método mais aconselhado de combater esta espécie passa pelas ações de desinfestação química. 

 

Várias autarquias em todo o País já alertaram também os agricultores para estarem atentos à presença do inseto em maquinaria ou outros bens por forma a proteger as explorações agrícolas.

 

 

[Fotografia capa: Mariana Gonçalves/Redes sociais]

Últimas